A música na educação de jovens e adultos (EJA)

um estudo sobre relações musicais entre diferentes grupos etários na escola

  • Jennifer Gonzaga Universidade Federal de Uberlândia
Palavras-chave: Educação Musical, Relações com a Música, Educação de Jovens e Adultos

Resumo

Este artigo apresenta os resultados de uma investigação que buscou desvelar relações que alunos de diferentes grupos etários estabelecem com a música no contexto da EJA. Esta pesquisa, de cunho qualitativo, teve como procedimentos de coleta de dados a observação livre e o grupo focal em uma escola que oferece a modalidade EJA na cidade de Uberlândia-MG. Os resultados mostraram que os jovens e adultos criam relações com a música a partir de suas experiências individuais e coletivas dentro e fora do ambiente escolar. Percebeu-se que aspectos etários e geracionais presentes nas relações que jovens e adultos estabelecem com a música foram perpassados por fatores sociais como de geração, classe social e de gênero e que são importantes de serem considerados no contexto da EJA.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARBOUR, R. Grupos focais. Porto Alegre: Artmed, 2009. 216 p.

BARROS, M. de F. E. Canto como expressão de uma individualidade. 2012. Tese (Doutorado em Música) – Instituto de Arte, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2012. Disponível em: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/CAMP_e0b54164d7b899a577d88e838da26c32 Acesso em: 15 jul. 2019.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Senado Federal, 1996. Brasília: Palácio do Planalto, Governo da Presidência da República, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em: 30 maio. 2018.

BRASIL. Resolução CNE/CEB nº 3, de 15 de junho de 2010. Institui Diretrizes Operacionais para a Educação de Jovens e Adultos nos aspectos relativos à duração dos cursos e idade mínima para ingresso nos cursos de EJA; idade mínima e certificação nos exames de EJA; e Educação de Jovens e Adultos desenvolvida por meio da Educação a Distância. Brasília: Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação, 2010. Disponível em: http://confinteabrasilmais6.mec.gov.br/images/documentos/resolucao032010cne.pdf. Acesso em: 22 mar. 2018.

CALDEIRA, B. O processo de despedir-se de uma voz: percursos de transição vocal de cantores transmasculinos. 2019. 91 f. TCC (Graduação em Música-Licenciatura) - Curso de Música, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2019. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/26150. Acesso em: 20 jul. 2019.

DAYRELL, J. Escola como espaço sócio-cultural. In: DAYRELL, Juarez (Org.). Múltiplos olhares sobre educação e cultura. 3. ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1996. p. 136-161.

GREEN, L. Pesquisa em sociologia da educação musical. Revista da ABEM, Salvador, n. 4, p. 25-35. 1997. Disponível em: http://abemeducacaomusical.com.br/revistas/revistaabem/index.php/revistaabem/article/view/483. Acesso em: 19 jun. 2019.

LLORET, C. As outras idades ou as idades do outro. In: LARROSA, Jorge; LARA, Nuria Pèrez de (Org.). Imagens do outro. Tradução de: Celso Márcio Teixeira. Petrópolis: Vozes, 1998. Cap. 2. p. 13-23.

MANNHEIM, K. O problema das gerações. Tradução de: Maria da Graça Barbedo. In MANNHEIM, Karl. Sociologia do conhecimento, Vol. II, Porto, RES-Editora, pp. 115-176, [1928].

NEVES, J. L. Pesquisa qualitativa: características, usos e possibilidades. Caderno de Pesquisas em Administração, São Paulo, v. 1, n. 3, p. 1-5. 1996. Disponível em: http://www.hugoribeiro.com.br/biblioteca-digital/NEVES-Pesquisa_Qualitativa.pdf. Acesso em: 22 mar. 2017.

OLIVEIRA, M. K. de. Jovens e adultos como sujeitos de conhecimento e aprendizagem. Revista Brasileira de Educação. São Paulo: ANPED -Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Educação, n. 12, p. 59-73. 1999. Disponível em: http://bdpi.usp.br/single.php?_id=001091370. Acesso em: 20 jun. 2018.

RIBAS, M. G. de C. Música na educação de jovens e adultos: um estudo sobre práticas musicais entre gerações. 2006. 199 f. Tese (Doutorado em Música) - Curso de Pós-Graduação em Música, Instituto de Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/7177. Acesso em: 20 mar. 2020.

RIBAS, M. G. de C. Coeducação musical entre gerações. In: SOUZA, Jusamara (Org). Aprender e ensinar música no cotidiano. Porto Alegre: Sulina, 2009. p. 141 - 165.

SLOBODA, J. A. A mente musical. Tradução: Beatriz Ilari e Rodolfo Ilari. Londrina: Eduel, 2008.

SOUZA, J. Educação musical e práticas sociais. Revista da ABEM, Porto Alegre, v. 10, p. 7-11, mar. 2004. Disponível em: http://abemeducacaomusical.com.br/revistas/revistaabem/index.php/revistaabem/article/view/356. Acesso em: 28 out. 2018.

VIANNA, H. Galeras cariocas: territórios de conflitos e encontros culturais. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ. 2003.

VILA, P. Práticas musicais e identificações sociais. Significação: Revista de Cultura Audiovisual, São Paulo, v. 39, n. 38, p.247-277, dez. 2012. Semestral. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/significacao/article/view/71197/74184. Acesso em: 23 mar. 2019.

Publicado
2020-04-11
Seção
Pesquisas em Educação Musical