CONSTRUÇÃO DE UM PROBLEMA DE PESQUISA SOBRE O MAPEAMENTO COMO DISPOSITIVO

  • Gisele GIRARDI Professora do Departamento de Geografia do Centro de Ciências Humanas e Naturais da Universidade Federal do Espírito Santo - UFES
  • Pedro SOARES Licenciado em Geografia pela Universidade Federal do Espírito Santo - UFES.
Palavras-chave: Cartografia, Mapeamento, Dispositivo

Resumo

O mapeamento como processo apresenta potência para exercitar a cartografia-analítica no entendimento das práticas humanas de produção de mapas-objetos como imagens que produzem pensamentos sobre espacialidades. Na busca do entendimento de como o mapa-objeto faz mapa-conceito com o mundo, isto é, fazer a cartografia-analítica do mapeamento, arriscamo-nos a pensar o mapeamento como um dispositivo que pode tanto remeter a um conjunto de forças, um sistema de forças que subjetivam, e neste sentido o mapeamento pode ser pensado na relação com a produção de imaginações espaciais, como pode se referir a um elemento que faz derivar um conjunto, e neste caso pode-se pensar o mapeamento como uma potência de deslocamento. O exemplo do mapa-objeto do INCRA e o aporte da literatura acerca das instituições, dos discursos e forças, bem como acerca de diferentes modos de entender o espaço e o lugar do mapeamento neste processo de entendimento nos auxiliaram a pensar no mapeamento como dispositivos que nos dizem sobre fronteiras, propriedades e modos legitimados de apreender os espaços. A potência deste exercício é a ampliação das possibilidades de novas abordagens para geografia contemporânea, dada sua difícil relação com mapas-objetos modernos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-07-12