Generificação da violência nos meios de comunicação do Oeste do Paraná (1960-1990)

  • Tânia Regina Zimmermann UEMS/UFSC

Resumo

O presente artigo discute formas de violência perpetrada por mulheres, mas que nos meios de comunicação aparecem pelo inverso, ou seja elas são ridicularizadas pelas suas ações através da violência simbólica articulada com uma linguagem risível e de deboche. Esta linguagem reproduz velhos estereótipos de que a violência associa-se a masculinidade e a fragilidade à feminilidade e assim a dicotomia vítima x agressor continua a ser naturalizada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tânia Regina Zimmermann, UEMS/UFSC
Professora da Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul e doutoranda pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atua na áera de História Contemporânea e Ensino de História e desenvolve pesquisas sobre violência de gênero na mídia.
Publicado
2010-08-19
Seção
Dossiê: Gênero e Violência