As opressões antinaturais sofridas pelas mulheres

ensaio a partir do feminismo materialista

  • Vanessa Lima Blaudt Universidade Federal Fluminense
  • Mary Rangel Universidade Federal Fluminense
  • Marcio Caetano Universidade Federal do Rio Grande

Resumo

Neste texto, o objetivo é o de dialogar com as perspectivas teóricas do feminismo materialista francês, iniciadas durante a década de 1970, clarificando a opressão da classe das mulheres – intencionalmente operada e, sob a (falsa) designação da natureza, justificada.

Palavras-chave: Teoria Feminista. Feminismo Materialista. Opressão Material. Classes de Sexo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Lima Blaudt, Universidade Federal Fluminense
Doutoranda em Educação pela Universdade Federal Fluminense
Mary Rangel, Universidade Federal Fluminense

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e estágio pós-doutoral em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Pesquisadora Nível 1D do CNPq. Professora da Universidade Federal Fluminense e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. http://orcid.org/0000-0003-3834-942.

Marcio Caetano , Universidade Federal do Rio Grande

Pós-doutorando no PROPED-UERJ (PNPD-CAPES), doutor em Educação pela UFF, Líder do Nós do Sul: Laboratório de Estudos e Pesquisas sobre Identidades, Currículos e Culturas, Professor no Instituto de Educação da Universidade Federal do Rio Grande – FURG. Universidade Federal do Rio Grande – FURG–Brasil.  http://orcid.org/0000-0002-4128-8229

Publicado
2020-09-13
Seção
Artigos