Movimentos feministas e LGBTS no Brasil e o enfrentamento da repressão e do obscurantismo em dois tempos: uma luta “menor”?

  • Daniel Henrique de Oliveira Silva Universidade Estadual do Rio de Janeiro
  • Maria Elizabeth Ribeiro Carneiro Universidade Federal de Uberlândia

Resumo

No Brasil, os movimentos LGBTs e feministas foram considerados “lutas menores” em discursos das esquerdas no período da ditadura militar (1964- 1985) e também nos dia atuais? Tal questionamento movimenta esta análise em que se busca pensar uma relação entre discursos que se reiteram em torno da crítica às bandeiras identitárias dos movimentos sociais, em diferentes momentos da história recente, porém ambos marcados pela repressão a populações marginalizadas e pela retirada de direitos sociais.

PALAVRAS-CHAVE: Ditadura Militar. LGBTs. Feminismos. Movimentos de Esquerda.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Henrique de Oliveira Silva, Universidade Estadual do Rio de Janeiro

Graduado e Mestre em História pela Universidade Federal de Uberlândia – UFU, Doutorando em Educação pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Estadual do Rio de Janeiro – PROPED/UERJ, Brasil.

Maria Elizabeth Ribeiro Carneiro, Universidade Federal de Uberlândia

Doutora em História pelo PPGHIS / UnB, Pós-doutora pela Goldsmiths University of London, Professora Associada no PPGHI/INHIS/UFU e membro do NEGUEM.

Publicado
2020-02-29
Seção
DOSSIÊ: Gênero, feminismos e práticas de resistências