A QUEM PODE SER ATRIBUÍDO O STATUS DE SUJEITO DO CONHECIMENTO? Desafios para o debate teórico-crítico feminista sobre gênero

  • Maísa Maria Vale
  • Maria Nazaré Mota de Lima

Resumo

Resumo

As últimas décadas do século XX foram marcadas como a época dos questionamentos e rompimentos com os cânones estabelecidos pela ciência moderna. Este artigo busca problematizar, a partir de reflexões apresentadas no trabalho "O sujeito coletivo multifacético da política feminista: as mulheres como mulheres, com seus corpos e o que eles simbolizam", no III Seminário Internacional Enlaçando Sexualidades, na Universidade do Estado da Bahia - Uneb, em maio de 2013, a abrangência da categoria mulher/es, tomada de forma acrítica a partir da biologia pelos estudos feministas. O marco teórico desta reflexão encontra-se demarcado pelas críticas formuladas pelas feministas contemporâneos às teorizações do sujeito. Apropriando-se criticamente dos conceitos de gênero e mulher/es da forma como aparecem nessas críticas, o estudo se constrói no seguinte questionamento: a quem pode ser atribuído o status de sujeito do poder/conhecimento? O ponto central desta reflexão é a busca por argumentação que legitime a emergência de lésbicas e transgêneros ao poder/conhecimento, sujeitos historicamente, regulados e silenciados por pressupostos do pensamento moderno ocidental.

Palavras-chave: poder; conhecimento; gênero; mulher/es.

Abstract 

The last decades of the twentieth century were marked as the time of the questioning and disruptions to the canons established by modern science. This article raises questions from reflections presented in the paper "The guy multifaceted collective of feminist politics: women as women, their bodies and what they symbolize" in the III International Seminar Linking sexualities, at the State University of Bahia - UNEB, in May 2013, the scope of the woman class / es taken uncritically from biology by feminist studies. The theoretical framework of this reflection is marked by criticism by contemporary feminist theorizing on the subject. Appropriating critically the concepts of gender and women / s as they appear in these critical, the study builds on the following question: who can be assigned the status of subject of power / knowledge? The central point of this reflection is the search for arguments to legitimize the emergence of lesbian and transgender people to the power / knowledge, historically subject, regulated and silenced by assumptions of modern Western thinking.

Key words: Power, knowledge, gender; women 


Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-04-29
Seção
DOSSIÊ