Sangue, suor e lágrimas das mulheres raspadeiras de mandioca em Pernambuco

  • Vicentina Maria Ramires Borba Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Roseana Medeiros Universidade Federal Rural de Pernambuco

Resumo

O trabalho das raspadeiras nas casas de farinha tradicionais em Pernambuco é feito em condições perversas, sem atenção de políticas públicas. Para identificar os problemas decorrentes de suas atividades, foram entrevistadas 130 mulheres da região da Bacia do Goitá. Os resultados revelaram as péssimas condições de trabalho e remuneração humilhante, o que exige ações específicas do poder público. Palavras-chave: produção de mandioca; mulheres trabalhadoras; políticas sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vicentina Maria Ramires Borba, Universidade Federal Rural de Pernambuco
Professora do Departamento de Letras da UFRPE. Doutora em Linguística.
Roseana Medeiros, Universidade Federal Rural de Pernambuco
Professora do Departamento de Sociologia. Doutora em Serviço Social.
Publicado
2015-09-30
Seção
DOSSIÊ