Gênero e Memória: Uma Construção Dionisíaca

  • Rafael Chaves Vasconcelos Barreto Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
  • Francisco Ramos De Farias Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Resumo

Nos últimos anos vêm se falando cada vez mais em busca por igualdade de gênero, bem como têm se discutido formas de se proporcionar um maior empoderamento feminino. Desse modo vale lembrar que tal discussão se origina do fato de vivermos em uma sociedade heteronormativa onde o gênero é visto como uma hierarquia onde temos o masculino como sendo dominante em relação ao feminino. No entanto somente homens heterossexuais estariam no topo dessa hierarquia. Desse modo o presente artigo visa trazer alguns elementos históricos e mitológicos capazes de nos fazer refletir sobre essa hierarquização para assim pensarmos em formas de se mitigar isso, buscando uma real igualdade de gênero.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Chaves Vasconcelos Barreto, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Geógrafo (Licenciatura e Bacharelado) formado pela Universidade Federal Fluminense - UFF (2007). Mestre em Estudos Populacionais e Pesquisas Sociais pela Escola Nacional de Ciências Estatísticas - ENCE/IBGE, onde foi bolsista pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES. Atualmente é doutorando em Memória Social pela UNIRIO. Atuou como servidor do quadro temporário do IBGE, na Coordenação de Cartografia - CCAR de 2006 a 2008. Participou como professor/online do projeto Gênero e Diversidade na Escola, versão 2009 e 2010, realizado pelo CLAM/IMS/UERJ e do Curso de Especialização em Gênero e Sexualidade - EGeS, na mesma instituição. Vem atuando na elaboração do Currículo Mínimo de Geografia (modalidade EJA) da Rede Estadual do RJ e participa como membro da equipe de formação continuada para professores da mesma rede. Atua nas áreas ligadas à Geografia da População; Gênero e Sexualidade; Identidade e Território; Currículo e Formação Docente.
Francisco Ramos De Farias, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Bacharel e Psicólogo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1978), Especialista em Psicologia Clínica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Mestre em Psicologia, área Motivação e Prendizagem pela Fundação Getúlio Vargas - RJ (1983) e Doutor em Psicologia, área Psicologia Cognitiva, pela Fundação Getúlio Vargas - RJ (1987). Atualmente é consultor Ad Hoc da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro, professor adjunto da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, do Departamento de Fundamentos da Educação e do Programa de Pós-Graduação em Memória Social, Ex-editor responsável do periódico Actas Freudianas da Sociedade de Estudos Psicanalíticos de Juiz de Fora, Ex-diretor de cultura, pesquisa e publicações da Sociedade de Estudos Psicanalíticos de Juiz de Fora e consultor do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Publicou pela Editora Revinter: Histeria e Psicanálise, A pesquisa nas ciências do sujeito e Psicose: ensaios clínicos; pela Editora 7Letras: Por que, afinal, matamos? e pela Editora Contracapa: Apontamentos em Memória Social. Participou de bancas de concursos públicos, de dissertações e teses. Apresentou em programas jornalísticos de televisão (Rede Globo, TVE, CNT) a pesquisa sobre criminalidade, violência e trauma. Apresentou matérias em jornais e semanários. Pesquisa atualmente sobre a temática violência, trauma e memória social. Participação em congressos nacionais e internacionais. Publicações em periódicos nacionais e internacionais. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Intervenção Terapêutica, atuando principalmente nos seguintes temas: crime, desejo, memória social, criminalidade e perversão.
Publicado
2014-09-22
Seção
Artigos