Representações sobre ensino de espanhol como língua estrangeira: entre a possibilidade e a contingência

  • Fernanda Peçanha Carvalho COL
Palavras-chave: Língua Espanhola, Lei Nº 11.161/2005, Representações, Análise de Discurso, Professores E/LE

Resumo

O artigo versa sobre as representações dos sujeitos-professores de espanhol como língua estrangeira (E/LE) de Belo Horizonte e região metropolitana sobre o ensino de espanhol e seus efeitos de sentido na constituição subjetiva do professor. A pesquisa ancora-se na Análise de Discurso franco-brasileira que parte dos estudos pecheutianos em interface com a psicanálise lacaniana. Em nosso percurso metodológico empregamos como dispositivo de análise dos fatos linguísticos de nosso corpus a interpretação (ORLANDI, 2012), as ressonâncias discursivas (SERRANI-INFANTE, 1998), as noções de intra e interdiscurso (PÊCHEUX, 1974), algumas modalidades da heterogeneidade enunciativa (AUTHIER-REVUZ, 1998, 2004) e noções tomadas da psicanálise. Através dos gestos de interpretação depreendemos significantes que configuram o ensino de E/LE nos circuitos da contingência e da possibilidade. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Peçanha Carvalho, COL
Doutoranda e Mestra em Linguística Aplicada pela Universidade Federal de Minas Gerais (2015). Licenciada em Letras, habilitação em língua portuguesa(2004) e língua espanhola pela UFMG (2006). Atualmente é professora efetiva de língua espanhola do Colégio Técnico da Universidade Federal de Minas Gerais (COLTEC-UFMG). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Línguas Estrangeiras Modernas, atuando principalmente nos seguintes temas: análise do discurso francesa em interface com psicanálise, ensino de línguas estrangeiras, intercâmbio linguístico, internacionalização de experiências escolares e pluralidade cultural. 
Publicado
2016-11-03
Como Citar
CARVALHO, F. P. Representações sobre ensino de espanhol como língua estrangeira: entre a possibilidade e a contingência. Letras & Letras, v. 32, n. 3, p. 185-214, 3 nov. 2016.