A construção da subjetividade surda pela falta/presença da língua: uma análise foucaultiana

  • Maria Salomé Soares Dallan Doutoranda do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação da UNICAMP http://orcid.org/0000-0001-5213-8317
  • Márcia Aparecia Amador Máscia Universidade São Francisco
Palavras-chave: Surdo, Libras-Língua de Sinais brasileira, Formações discursivas, Subjetividade, Objetos Discursivos

Resumo

Realizando uma incursão nos estudos sobre a surdez, observamos que, ao longo da história da humanidade, os surdos foram colocados em vários lugares sociais, provocando uma definição difusa de sujeito, que ora é deficiente auditivo, ora é componente de um povo, o povo surdo produtor de uma cultura própria, a cultura surda, que em nada se assemelha ao sujeito que a medicina nomeou. Este artigo tem como objetivo analisar como esses dois discursos - de "deficiente auditivo" e de "povo surdo" - são construídos discursivamente, engendrando as (novas) subjetividades surdas. Como metodologia de trabalho, elegemos seis enunciados a respeito das pessoas que têm surdez e que se comunicam através da língua de sinais, procedendo a uma análise desses discursos na perspectiva adotada por Foucault na obra Arqueologia do Saber. O referencial teórico adotado auxiliou a observar o processo de produção de objetos no contexto dessas formações discursivas. Os seis enunciados analisados exemplificam três formações discursivas aparentemente distintas, mas cujo objeto de discurso é o mesmo: o sujeito surdo. Os resultados coletados permitiram perceber que cada formação discursiva sobre a "não-audição" reverbera sobre seus sujeitos, produzindo enunciados que se influenciam mutuamente em relação aos objetos que formam. Sendo assim, pudemos observar que, mesmo parcialmente, os Estudos Surdos atuais estão reivindicando para a Comunidade Surda a construção/implementação de novos saberes a respeito de si, os quais fundamentarão seu próprio discurso, numa tentativa, talvez, de constituição de um sujeito diferente do que é relacionado nos discursos produzidos pelos outros não-surdos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Salomé Soares Dallan, Doutoranda do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação da UNICAMP
Doutoranda em Educação pela Unicamp. Mestre em Educação pela Universidade São Francisco. Possui graduação em Pedagogia-Educação Especial pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas e Especialização pela Universidade Estadual de Campinas
Márcia Aparecia Amador Máscia, Universidade São Francisco

Pós-Doutoramento pela Universidade de Wisconsin-Madison, no departamento de ?Curriculum and Instruction?, com bolsa FAPESP (2015). Sou Doutora em Linguística Aplicada pela UNICAMP (1999) e Doutorado-Sanduíche pela Universidade de Wisconsin-Madison (1998). Sou Mestre em Linguística e Língua Portuguesa pela UNESP (1992) e Graduada em Letras pela UNESP (1979). Atualmente, sou professora do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação, atuando na linha de Práticas Discursivas, Processos Sociais e Educativos, da Universidade São Francisco - Itatiba. Tenho experiência na área de Educação e Linguística Aplicada ? Linguagem e Discurso -, atuando principalmente com os seguintes temas: análise das práticas discursivas educacionais (incluindo as avaliações externas ? PISA), currículo, desconstrução, pós-modernidade, psicanálise, ensino-aprendizagem de línguas (materna e estrangeira, línguas orais e línguas espaço-visuais), produção de identidades e subjetividades no mundo contemporâneo, letramento digital, letramento para surdos, leitura e discursos sobre a pobreza. Sou líder do Grupo de Pesquisa ?Estudos Foucaultianos e Educação?, certificado pelo CNPq. Participo dos Grupos de Pesquisa: ?Vozes (in)fames: Discursos sobre exclusão e resistência? e do Grupo ?Phala ? Grupo de Pesquisa em Educação, Linguagem e Práticas Culturais?. Participo de eventos acadêmicos, nacionais e internacionais, nas áreas acima, com apresentações e publicações. Sou autora do livro ?Investigações Discursivas na Pós-Modernidade?, pela editora Mercado de Letras, com apoio FAPESP e, também, de vários artigos em periódicos e capítulos de livros, em âmbito nacional e internacional. Sou editora e revisora da Revista Horizontes-USF e faço parte do corpo editorial de várias revistas da área de Educação e Linguística Aplicada.

Publicado
2016-11-03
Como Citar
DALLAN, M. S. S.; MÁSCIA, M. A. A. A construção da subjetividade surda pela falta/presença da língua: uma análise foucaultiana. Letras & Letras, v. 32, n. 3, p. 28-44, 3 nov. 2016.