Falarra tanto que cansarra: a aspiração de /v/ no morfema verbal -ava no falar de Fortaleza-CE

  • Ana Germana Pontes Rodrigues Universidade Estadual do Ceará
  • Aluiza Alves de Araújo Universidade Estadual do Ceará
Palavras-chave: Aspiração de /v/, Sociolinguística variacionista, Falar de Fortaleza

Resumo

Este estudo aborda o enfraquecimento da fricativa /v/, no falar popular de Fortaleza, cuja realização ocorre, como em ta[v]a (manutenção) ~ ta[h]a (aspiração), em contexto de pretérito imperfeito do indicativo da primeira conjugação (/ava/). Nosso objetivo é analisar, à luz da Sociolinguística Variacionista, o efeito de fatores linguísticos e sociais sobre a realização variável da fricativa /v/ na comunidade de fala fortalezense e averiguar se o fenômeno encontra-se em variação estável ou se há indícios de uma mudança em progresso. Nossa amostra é constituída por 48 informantes do projeto Norma Oral do Português Popular de Fortaleza (NORPOFOR). No contexto aqui analisado, foram obtidos 1.816 dados, dos quais 839 (46,2%) foram de aspiração. As variáveis apontadas pelo GoldVarb X como relevantes foram (nesta ordem): escolaridade, registro, frequência de uso, faixa etária, tipo de sílaba, gênero/sexo e dimensão do vocábulo. A variável linguística mais relevante, a frequência de uso, mostrou que quanto mais usual um termo, maior será a aspiração de /v/. A escolaridade, a variável mais importante de todas, é aliada da variante aspirada entre os informantes com 0 a 4 anos de escolarização, o que reforçou a hipótese de estigmatização do fenômeno nesta comunidade de fala; a faixa etária indicou que os maiores índices com a variante aspirada ocorreram, preferencialmente, na faixa de 50 anos ou mais, o que nos apontou indícios de uma mudança em progresso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Germana Pontes Rodrigues, Universidade Estadual do Ceará

Possui graduação em Letras-Português/Literatura pela Universidade Estadual do Ceará (2008), especialização em Semiótica Aplicada à Literatura e Áreas Afins (2012) e mestrado em Linguística Aplicada (2013), pela mesma universidade. Pesquisou, na especialização, identidade nordestina e literatura popular e, no mestrado, variação fonético-fonológica no falar popular fortalezense. Em 2014.1, ingressou como doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da mesma universidade. E, desde julho de 2014, atua como professora de Língua Portuguesa do Ensino Básico.

Aluiza Alves de Araújo, Universidade Estadual do Ceará
Possui graduação em Letras pela Universidade Estadual do Ceará (1996), mestrado (2000) e doutorado (2007) em Lingüística pela Universidade Federal do Ceará (2007). Atualmente é professora Adjunto K da Universidade Estadual do Ceará. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Sociolinguística e Dialetologia.
Publicado
2015-12-29
Como Citar
RODRIGUES, A. G. P.; ARAÚJO, A. A. DE. Falarra tanto que cansarra: a aspiração de /v/ no morfema verbal -ava no falar de Fortaleza-CE. Letras & Letras, v. 31, n. 2, p. 157-187, 29 dez. 2015.