Gloriosos pois fingidos: o esvaimento dos deuses e o consílio marítimo D'os Lusíadas

  • Luis Maffei UFF
Palavras-chave: Os Lusíadas, Vênus, Baco, Consílio Marítimo, ficção

Resumo

Um dos aspectos mais importantes d'Os Lusíadas é a função desempenhada pelos deuses, especialmente Baco e Vênus, agentes centrais da ação em diversos momentos. Como o poema não é um épico clássico, insere-se num tempo histórico no qual, assim como nossa contemporaneidade, os deuses já não eram pertencentes ao sagrado, mas a um imaginário ficcional. Entender o poder dos deuses a partir de sua esvaziamento religioso é tarefa deste ensaio, que dialoga com dois textos recentes para afirmar não apenas a contemporaneidade de Camões, mas sua capacidade crítica: um verbete de Luís de Oliveira e Silva e um estudo de Luiza Nóbrega, ambos sobre o Consílio Marítimo do Canto VI, momento decisivo para as destinações de sentido de Baco e dos demais seres divinos de poema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luis Maffei, UFF
Doutor, Professor Adjunto de Literatura Portuguesa, Instituto de Letras, Universidade Federal Fluminense.
Publicado
2015-01-16
Como Citar
MAFFEI, L. Gloriosos pois fingidos: o esvaimento dos deuses e o consílio marítimo D’os Lusíadas. Letras & Letras, v. 30, n. 1, p. 177-189, 16 jan. 2015.