O movimento de estruturação das narrativas infantis

  • Juliana Galindo de Oliveira PONTES
  • Glória Maria Monteiro de CARVALHO

Resumo

Tomando como base a Abordagem Estruturalista da Linguagem, este estudo teve como objetivo analisar a estruturação de narrativas infantis. Participaram deste estudo 7 crianças de aproximadamente 3 anos e 2 adultos. Cada criança foi convidada a participar de atividades de contar histórias. Inicialmente o adulto fazia a leitura de livros infantis com histórias tradicionais. Após as leituras, era sugerido que a criança escolhesse uma das histórias para contar para o adulto. Foram selecionados os momentos de reconto de cada história, visando analisar como ocorre esse processo de estruturação de narrativas. Portanto, cada reconto foi comparado com a história original, para que fossem localizados os pontos de ruptura com a história contada anteriormente pelo adulto. Após a localização destas rupturas, foi possível indicar como a criança rompe com o discurso do outro e sugerir em que consistem essas rupturas. Vale destacar que essa ruptura da fala da criança em relação à fala do adulto não foi aqui considerada como um 'não saber', mas como correspondente a uma forma particular de convocar e arrumar significantes durante a estruturação de narrativas, levando em conta que a fala da criança estaria subordinada ao próprio funcionamento da língua, ou seja, aos processos metafóricos e metonímicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-09-03
Como Citar
PONTES, J. G. DE O.; CARVALHO, G. M. M. DE. O movimento de estruturação das narrativas infantis. Letras & Letras, v. 29, n. 1, 3 set. 2013.