Formas de subjetividade e intersubjetividade da lingua inglesa e efeitos para o ensino

  • Silvana SILVA
  • Mégui MASCARELO

Resumo

O objetivo deste artigo é definir que tipo de relações - subjetiva ou intersubjetiva - entre locutor e interlocutor, por meio dos verbos "feel" (sentir) e "believe" (acreditar/crer). Acredita-se que o estudo desses verbos possibilita uma percepção sobre o ensino de língua inglesa de forma ampla e significativa. Utilizamos como referência os pressupostos da Linguística Enunciativa fundada por Émile Benveniste, em especial os termos enunciação, interlocução, bem como projeção do sujeito em seu discurso a partir da relação entre homem, pessoa e sujeito. Procedeu-se, então, a uma análise sintática e semântica dos referidos verbos, considerando seu uso nas frases obtidas. Além disso, procedeu-se a uma análise de uma situação de ensino de escrita em um curso de língua inglesa. Um dos principais resultados indica que a atividade que contempla, tanto a dimensão do feel quanto a do believe é mais eficiente do que a atividade que se atém a apenas um dos termos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-09-03
Como Citar
SILVA, S.; MASCARELO, M. Formas de subjetividade e intersubjetividade da lingua inglesa e efeitos para o ensino. Letras & Letras, v. 29, n. 1, 3 set. 2013.