A PRODUÇÃO DO OURO EM PARACATU / MG – BRASIL: RISCOS PARA A SAÚDE E BEM ESTAR DA POPULAÇÃO

  • Joana D'Arc Vieira Couto Astolphi Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia, Brasil
  • Vicente de Paulo da Silva Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia, Brasil
  • Érico Soriano Universidade do Porto (UP), Porto, Portugal
Palavras-chave: Riscos, Mineradora, Doença, Ouro

Resumo

Paracatu é uma cidade histórica brasileira do Ciclo da Mineração no país, localizada no noroeste do estado de Minas Gerais.  Atualmente é conhecida devido a sua grande produção de ouro, através da exploração da maior mina a céu aberto do mundo, operada pela empresa Kinross Brasil Mineração. Esta grandiosidade também se observa nos impactos socioambientais negativos gerados pela atividade produtiva. Buscou-se identificar a relação entre os impactos socioambientais produzidos pela mineração industrial, com os problemas de saúde e de bem-estar identificados na população. Desta forma, analisou-se o processo de adoecimento dos moradores, a partir da base de dados SIH/SUS do DATASUS, assim como a literatura e documentos acerca dos riscos da produção minerária sobre a saúde e o bem-estar dos moradores e a realização de entrevistas semiestruturadas com moradores que residem em bairros contíguos à área de lavra da mineradora. Foi possível constatar que as condições de saúde e o processo de adoecimento de parte da população podem revelar uma possível relação com as práticas da mineração. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Érico Soriano, Universidade do Porto (UP), Porto, Portugal

Possui graduação em Geografia (licenciatura e bacharelado) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho-UNESP (2004), mestrado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho-UNESP (2007), e doutorado em Ciências pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo EESC-USP(2012), com período de mobilidade no Departamento de Geografia da Universidade do Porto (Portugal), com investigação em Cimatologia Aplicada, Riscos Naturais e Ordenamento do Território. Foi pesquisador do Núcleo de Estudos e Pesquisas Sociais em Desastres (NEPED/UFSCar) de 2008 a 2011, e trabalhou como Analista de Pesquisa em Desastres Naturais no Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN), vinculado ao Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), de janeiro de 2012 a janeiro de 2014. Realizou um Pós-doutorando na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) de julho de 2014 a julho de 2017. Foi pesquisador do grupo de pesquisa Núcleo de Informação em Ciência, Tecnologia, Inovação e Sociedade, da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). É pesquisador do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Efeitos e Riscos nos Grandes Empreendimentos (NEPERGE) da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), e membro do PAM-TAP Plano de Auxilio Mútuo do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. Atualmente é consultor em comunicação de riscos de acidentes industriais ampliados na Álea consulting, e Pesquisador Associado no Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade Federal de Uberlândia (PPGEO-UFU). Atua especialmente em temas como vulnerabilidade a desastres naturais, eventos climáticos extremos, percepção e comunicação dos riscos.

Publicado
2021-03-19
Como Citar
ASTOLPHI, J. D. V. C.; DA SILVA, V. DE P.; SORIANO, ÉRICO. A PRODUÇÃO DO OURO EM PARACATU / MG – BRASIL: RISCOS PARA A SAÚDE E BEM ESTAR DA POPULAÇÃO. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 17, p. 55 - 70, 19 mar. 2021.
Seção
Artigos