SUSCETIBILIDADE À COVID-19 EM SANTA CATARINA: UMA PROPOSTA METODOLÓGICA

Palavras-chave: Geografia da saúde, Epidemiologia, Coronavírus, Geoprocessamento, COVID-19

Resumo

Apresenta-se uma proposta metodológica de avaliação da suscetibilidade à COVID-19 no Estado de Santa Catarina. O interesse é contribuir com a análise da difusão espacial da doença e oferecer um parâmetro técnico-científico que auxilie os processos decisórios e gestão da saúde no Estado no que tange à previsibilidade de áreas e regiões mais propensas à observação, aumento e distribuição espacial da doença. O índice contemplou 47 variáveis dimensionadas em indicadores que agravam os quadros da COVID-19, considerando população residente, riqueza material e processo saúde-doença para as unidades espaciais dos 293 municípios catarinenses. Para construção dos índices os valores demográficos e de saúde foram submetidos à testes de normalidade, multicolinearidade, análise de componentes principais. A transformação de valores estatísticos para índices de suscetibilidade foi assumida a partir de duas componentes principais que explicou 84,8% da variância da matriz. Na espacialização, os índices se apresentam com padrão de distribuição, associados na maioria dos municípios com população mais alta e com os maiores casos confirmados Nestes aspectos o índice pode, em sua primeira versão, ser apresentado como uma estratégia para a análise e controle da epidemia no Estado, principalmente, na indicação de municípios para ação prioritária.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-06-20
Como Citar
NASCIMENTO JÚNIOR, L.; AUGUSTO WERNECK RIBEIRO, E.; AUGUSTO MENEGON, F.; SALAIB SPRINGER, K.; MONGUILHOT, M.; FERNANDO MELIANI, P.; DA SILVA CELESTINO REGINATO, V. SUSCETIBILIDADE À COVID-19 EM SANTA CATARINA: UMA PROPOSTA METODOLÓGICA. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, p. 274 - 286, 20 jun. 2020.
Seção
Edição Especial: Dossiê COVID-19