DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA TUBERCULOSE E A RELAÇÃO COM AS CONDIÇÕES SOCIOECONÔMICAS NO MUNICÍPIO DE FEIRA DE SANTANA – 2005 A 2016

  • Roquenei Rodrigues Mestre em Planejamento Territorial pela Universidade Estadual de Feira de Santana – Bahia
  • Jocimara Souza Britto Lobão Professora titular da Universidade Estadual de Feira de Santana – Bahia https://orcid.org/0000-0003-4987-190X
Palavras-chave: Tuberculose, Distribuição espacial, Vulnerabilidade socioeconômica

Resumo

Objetivou-se com esta pesquisa, realizar a distribuição espacial da incidência média dos casos novos tuberculose, em Feira de Santana – Bahia e relacionar sua ocorrência com as condições socioeconômicas. Para tanto, foram incluídos no estudo, os casos novos de tuberculose notificados no município de Feira de Santana – Bahia no período de 2005 -2016. Inicialmente foi calculada a incidência média dos casos e para correlacionar esta morbidade e as variáveis socioeconômicas dos bairros e distritos rurais, usou-se o modelo de regressão de Poisson. Tais variáveis foram obtidas a partir do Censo demográfico do IBGE, 2010.  Os resultados apontaram que se teve uma maior concentração da incidência média nos bairros centrais. Com relação à associação da incidência média da tuberculose com as variáveis socioeconômicas, verificou- se associações diretas entre incidência da doença e a proporção de domicílios com 11 ou mais pessoas, proporção de domicílios com lixo coletado por serviço de limpeza, com rede geral de abastecimento e sem banheiro ou sanitário. Concluiu-se que a distribuição espacial da tuberculose ocorre de forma heterogênea e que nos bairros com baixa vulnerabilidade social, apresentam uma alta taxa de incidência média da patologia. O que se leva a necessidade de novos estudos para elucidar essa questão.    

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-12-27
Como Citar
RODRIGUES, R.; LOBÃO, J. S. B. DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA TUBERCULOSE E A RELAÇÃO COM AS CONDIÇÕES SOCIOECONÔMICAS NO MUNICÍPIO DE FEIRA DE SANTANA – 2005 A 2016. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 15, n. 34, p. 1 - 10, 27 dez. 2019.
Seção
Artigos