OCORRÊNCIA DE CASOS DE DOENÇAS DIARREICAS AGUDAS E SUA RELAÇÃO COM OS ASPECTOS SANITÁRIOS NA REGIÃO DO ALTO TIETE, SÃO PAULO

  • Regina Oliveira Moraes Arruda Engenheira Agrônoma – Doutora em Tecnologia das Fermentações - FCF - USP / Mestrado em Análise Geoambiental – Universidade UNIVERITAS UNG
  • Pedro Carmo de Souza Biólogo -Mestre em Análise Geoambiental – Universidade UNIVERITAS UNG Coordenadoria de Controle de Doenças (CCD), Secretaria de Estado da Saúde-SP
  • Edna Ferreira Rosini Bióloga - Doutora em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente- IB/Mestrado em Análise Geoambienta l- Universidade UNIVERITAS UNG
  • Fernanda Dall'Ara Azevedo Bióloga - Doutora em Ecologia - UFRJ / Universidade UNIVERITAS UNG
Palavras-chave: Saneamento, Diarreia, Qualidade da água, Esgotos

Resumo

A falta de saneamento e de acesso às redes de captação e coleta de esgoto são fatores cruciais na veiculação de doenças principalmente as parasitárias que estão relacionadas com excretas capazes de poluir o ambiente e interferir na saúde, sendo os principais sintomas a diarreia. O objetivo da pesquisa foi realizar o levantamento das notificações de ocorrências de casos de doenças diarreicas agudas, no período de 2011 e 2015, nos onze municípios pertencentes ao Grupo de Vigilância Epidemiológica - VIII de Mogi das Cruzes-SP e relacioná-los com indicadores de saneamento. As informações para a pesquisa foram obtidas a partir do Sistema Informatizado de Vigilância Epidemiológico do Ministério da Saúde disponibilizado pelo Centro de Vigilância Epidemiológica de São Paulo, nos relatórios anuais da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, e na Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades. Com relação à doenças diarreicas agudas observou-se que houve relação entre as notificações e população atendida com água tratada, população atendida com esgoto e população rural dos municípios. Não se observou relação entre notificações e o Índice de Coleta e Tratabilidade de Esgotos Municipal. Os serviços em saneamento são fundamentais para promoção da saúde, neste caso, a redução das doenças diarreicas agudas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Carmo de Souza, Biólogo -Mestre em Análise Geoambiental – Universidade UNIVERITAS UNG Coordenadoria de Controle de Doenças (CCD), Secretaria de Estado da Saúde-SP

Biólogo, mestre em Análise Geoambiental pela Universidade de Guarulhos, Especialista em Educação Ambiental, em Magistério do Ensino Superior e em Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana.

Edna Ferreira Rosini, Bióloga - Doutora em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente- IB/Mestrado em Análise Geoambienta l- Universidade UNIVERITAS UNG

Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2006) e mestre (2010) e doutora (2015) em Biodiversidade vegetal e meio ambiente pelo Instituto de Botânica (São Paulo). Docente do Mestrado em Análise Geoambiental.

 

Fernanda Dall'Ara Azevedo, Bióloga - Doutora em Ecologia - UFRJ / Universidade UNIVERITAS UNG

Graduada  em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Maringá (UEM- 2005), mestre (2009) e doutora (2013) em Ecologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). 

Publicado
2019-12-27
Como Citar
OLIVEIRA MORAES ARRUDA, R.; DE SOUZA, P. C.; FERREIRA ROSINI, E.; DALL’ARA AZEVEDO, F. OCORRÊNCIA DE CASOS DE DOENÇAS DIARREICAS AGUDAS E SUA RELAÇÃO COM OS ASPECTOS SANITÁRIOS NA REGIÃO DO ALTO TIETE, SÃO PAULO. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 15, n. 34, p. 53 - 61, 27 dez. 2019.
Seção
Artigos