CURANDEIROS PARINTINTIN E BENZEDEIRAS: REPRODUÇÃO DO SABER POPULAR DE CURA

  • Maximillian Ferreira Clarindo UEPG - Universidade Estadual de Ponta Grossa
  • Juliano Strachulski Universidade Estadual de Ponta Grossa
  • Nicolas Floriani Universidade Estadual de Ponta Grossa
Palavras-chave: Parintintin. Benzedeiras. Geografia da saúde.

Resumo

O presente artigo tem por objetivo geral discutir os saberes relacionados à cura de doenças, movimentados em um contexto de modernidades múltiplas, por benzedeiras localizadas na região sul do Brasil e por indígenas Parintintin localizados ao norte, no Estado do Amazonas. Fala-se de uma outra abordagem de saúde e doença a partir da Geografia, em uma perspectiva híbrida e holística da percepção das ausências e emergências destes atores. São saberes distantes do logocentrismo, que articulados por comunidades tradicionais ou de forma autônoma por benzedeiras urbanas ou rurais representam um importante aporte cultural do Brasil. O saber-fazer dos Parintintin incorpora signos não indígenas na mesma medida em que as benzedeiras envolvem simbolismos modernos com suas tradições. Tratam-se, portanto, de saberes e práticas que possuem base cognitiva semelhante e que vão se metamorfoseando ao longo dos anos, organizando por e através deles outras experiências espaciais, além das tracionadas pelas instituições. De maneira resiliente enfrentam seus diferentes algozes na perpetuação de seus saberes e modos de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-07-09
Como Citar
CLARINDO, M. F.; STRACHULSKI, J.; FLORIANI, N. CURANDEIROS PARINTINTIN E BENZEDEIRAS: REPRODUÇÃO DO SABER POPULAR DE CURA. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 15, n. 31, p. 105 - 124, 9 jul. 2019.
Seção
Artigos