CONTRIBUIÇÃO DO SISTEMA AMBIENTAL URBANO AO ESTUDO DA DENGUE EM IRANDUBA

  • Rayane Brito de Almeida Programa de Pós-Graduação em Geografia pela UFAM.
  • Marcela Beleza de Castro Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPG-GEO) da UFAM.
Palavras-chave: Sistema Ambiental Urbano, Dengue, Risco, Vulnerabilidade, Iranduba

Resumo

O presente texto objetivou identificar e analisar a formação de áreas vulneráveis ao risco de dengue produzido no espaço urbano de Iranduba a partir do Sistema Ambiental Urbano (SAU). As alterações na paisagem em decorrência da dinâmica espacial têm sido mais aceleradas, principalmente após a construção da ponte Rio Negro, impactando na valorização e desvalorização de solos urbanos, onde as enfermidades são identificadas, sobretudo nos moradores de baixa renda que moram, em sua grande parte, em áreas vulneráveis. Neste estudo foram realizados levantamentos bibliográficos, trabalho de campo e mapeamento das áreas. A problemática foi fundamentada no SAU, por se caracterizar pela abordagem sistêmica aos problemas socioambientais urbanos. Os resultados mostraram que as áreas vulneráveis ao risco de dengue são formadas em decorrência da constituição de moradias em áreas expostas as transformações ambientais, como a enchente; e em áreas com precariedades de estruturas urbanas, como a ineficácia e/ou ausência de saneamento básico (abastecimento de água, coleta de lixo, rede de esgoto) e serviços básicos como a saúde e educação ambiental, construindo particularidades de riscos e vulnerabilidades socioambientais à dengue no contexto urbano de Iranduba.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rayane Brito de Almeida, Programa de Pós-Graduação em Geografia pela UFAM.

Geógrafa, Mestranda em Geografia pela Universidade Federal do Amazonas - UFAM. Conhecimento na área de Clima e Saúde.

Marcela Beleza de Castro, Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPG-GEO) da UFAM.
Geógrafa, Mestranda em Geografia pela Universidade Federal do Amazonas - UFAM. Conhecimento na área de Clima e Saúde.

Referências

ALMEIDA, L. Q. Riscos ambientais e vulnerabilidades nas cidades brasileiras: conceitos, metodologias e aplicações. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012.

ALMEIDA, R. B.; COSTA, R. C. Clima e Região Metropolitana de Manaus: Instrumentos para a análise de dengue e politicas publicas, 2016. Anais do V Congresso de Iniciação Científica do Inpa

ALMEIDA, R.B. COSTA, R. C. A espacialização da dengue e sua relação com o clima na cidade de Manacapuru

ALMEIDA, R. B.; CASTRO, M. B.; COSTA, R. C. Dengue na Região Metropolitana de Manaus. In: REINALDO CORR

AQUINO JUNIOR, J. A dengue na área urbana contínua de Maringá (PR): uma abordagem socioambiental da epidemia de 2006-2007. 15 de abril de 2010. Dissertação de Mestrado em Geografia. Setor de Ciências da Terra. Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2010.

BANDEIRA, A. P. N.; NUNES, P. E. S.; LIMA, M. G. S. Gerenciamento de riscos ambientais em municípios da região metropolitana do Cariri (Ceará). Ambiente & Sociedade, São Paulo, v. 19, n.4, p.65-84. Out-dez. 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-753X2016000400081&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt>. Acesso em 01 fev. 2017.

BARRETO, M. L.; CARMO, E. H. Situação de saúde da população brasileira: tendências históricas, determinantes, e implicações para as políticas de saúde. Informe Epidemiológico do SUS, v.3, n.3-4, p. 7-34, 1994.

BARRETO. M.L; TEIXEIRA, M.G. Dengue no Brasil: Situação epidemiológica e contribuições para uma agenda de pesquisa. Revista Estudos Avançados, v. 22, n.64, p. 53 a 72, 2008. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142008000300005>. Acesso em 22 jan. 2017.

BARRETO. M.L; TEIXEIRA, M.G. Porque devemos, de novo, erradicar o Aedes aegypti. Ciência & Saúde Coletiva, n.1, p.122-135, 1996.

BELEZA, M.C; COSTA, R.C. O clima urbano e a dengue em Manaus-AM: Correlações e contextos. Anais do V Congresso de Iniciação Cientifica do Inpa

BELEZA, M. C.; COSTA, R. C. O clima urbano e a distribuição espaço-temporal da dengue no bairro Cidade de Deus

BELEZA, M. C.; COSTA, R. C. Clima urbano e a dengue em Manaus-AM. In: REINALDO CORR

BELEZA, M. C.; COSTA, R. C. O clima urbano e a distribuição espaço-temporal da dengue no bairro Cidade de Deus

BERTRAND, G. Paisagem e geografia física global: esboço metodológico. Caderno de Ciências da Terra, n.13, 1972.

BUENO, N.; LIMA, R. M. B.; AZEVEDO, C. P.. Contribuições de espécies florestais para fins energéticos sobre algumas características químicas de um podzólico amarelo impactado por usos anteriores no município de Iranduba

CARLOS, A.F.A. A cidade. (1992) São Paulo: Editora Contexto, 2008. 105 p. Coleção Repensando a Geografia.

CASSETI, V. Ambiente e apropriação do relevo. Revista contexto, São Paulo, p. 147, 1991.

CASSIANO, K. R. M. COSTA, R. C. Identificação das Áreas de Risco de Manaus (AM), Brasil, 2009. Montevideo . Anais do 12 Encuentro de Geografos de America Latina: Caminando em una America Latina en Transformacion. Montevideo, p.1-12.

COSTA, M. C. N.; TEIXEIRA, M. G. A concepção de

CRUZ, D. R.; CASSIANO, K. R. M.; COSTA, R. C. Áreas de risco em Manaus: Inventário preliminar. Observatorio de la Economía Latinoamericana, n.123, p 1-45, 2009. Disponível em <http://www.eumed.net/cursecon/ecolat/br/>. Acesso em 01 fev. 2017.

DANTAS, R. T.; COSTA, R. C. Riscos e vulnerabilidades associados à dinâmica socioambiental no Bairro Nova Cidade, Manaus

INTITUTO NACIONAL DE GEOGRAFIA E ESTATÍSITCA (IBGE). Sinopse do Censo Demográfico 2010: Amazonas. Disponível em: < http://www.censo2010.ibge.gov.br/sinopse/index.php?uf=13&dados=1>. Acesso em 02 fev. 2017.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE). Disponível em: <http://www.dgi.inpe.br/catalogo/>. Acesso em 02 fev. 2017.

KOPPEN, W. Classificação climática de Köppen-Geiger. Disponível em: <https://portais.ufg.br/up/68/o/Classifica____o_Clim__tica_Koppen.pdf.>. Acesso em 11 outubro 2017.

LOUSADA, C. O.; SANTOS, E. C. Reconfiguração espacial do Munícipio de Iranduba, com a inauguração da Ponte Rio Negro, Amazonas, Brasil. Revista Cesumar Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, Maringá, v.21, n.1, p. 29-44, jan./jun. 2016. Disponível em: < periodicos.unicesumar.edu.br/index.php/revcesumar/article/viewFile/4016/2788>. Acesso em: 12 fev. 2017.

MENDON

MENDON

MENDON

MENDON

MENDON

MENDON

NOBRE, C. A.; OBREG

NUNES, L. H. Urbanização e desastres naturais: abrangência da América do Sul. São Paulo: Oficina de Textos, 2015.

OLIVEIRA, M. M. F. Condicionantes Socio-ambientais Urbanos da Incidência da Dengue na Cidade de Londrina/PR. 2013. Dissertação de Mestrado em Geografia. Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2006.

PAULA, E. V. Dengue: Uma Análise climato-geográfica de sua manifestação no Estado do Paraná. 2005. Dissertação (Mestrado em Geografia)

PEREIRA, F. O. A problemática ambiental urbana: uma avaliação da relação entre o padrão de ocupação e o potencial de degradação ambiental, em trechos de área de Borda Marítima de Salvador-BA. 2009. Dissertação de mestrado em Engenharia Ambiental Urbana. Universidade Federal da Bahia. Salvador, 2009.

PINHEIRO, H. A.; WITKOSKI, A. C. Entre a racionalidade produtiva e a conservação do ambiente: a produção oleira do município de Iranduba e suas consequências ambientais. Revista Latitude, v.5, n.2, p. 49-73, 2011. Disponível em: < http://www.seer.ufal.br/index.php/latitude/article/viewFile/1010/688>. Acesso em: 08 fev. 2017.

ROCHA, R. L. Antes da chuva e da seca. Revista Radis, n. 135, dez. 2013. Disponível em: http://www6.ensp.fiocruz.br/radis/revista-radis/135./editorial/>. Acesso em: 20 jan. 2017.

ROSEGHINI, W. F. F. Clima urbano e dengue no centro-sudoeste do Brasil. 2013. Tese de Doutorado em Geografia. Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2013.

SECRETARIA MUNICIPAL DE SA

Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. (SEPLAN). 2010. Estimativa populacional para o Estado do Amazonas 2010/2020. Disponível em: <http://www.seplan.am.gov.br/arquivos/download/arqeditor/estima_populacional_2010.pdf.>. Acesso em: 20 ago.2015.

SISTEMA DE NOTIFICA

SOUZA, I. S. A ponte Rio Negro e a Região Metropolitana de Manaus: adequações no espaço urabno-regional à produção do capital. 2013. 249 f. Tese de Doutorado. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. IBGE. Aglomerados Subnormais Informações Territoriais. Disponível em: <https://ww2.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/imprensa/ppts/00000015164811202013480105748802.pdf>. Acesso em 11 out. 2017.

Publicado
2019-07-11
Como Citar
ALMEIDA, R. B. DE; CASTRO, M. B. DE. CONTRIBUIÇÃO DO SISTEMA AMBIENTAL URBANO AO ESTUDO DA DENGUE EM IRANDUBA. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 15, n. 31, p. 125 - 139, 11 jul. 2019.
Seção
Artigos