SCIENTIFICISMO "A MODA" BRASILEIRA: POSITIVISMO E REGENERAÇÃO SOCIAL

  • Tânia Regina Braga Torreão Sá Doutora em Memória: Linguagem e Sociedade da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (PPGMLS/UESB). Docente Assistente do Departamento de Ciências Humanas e Letras da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (DCHL/UESB).
  • Lívia Diana Rocha Magalhães Docente Plena do Departamento de Filosofia e Ciências Humanas e Letras da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (DFCH/UESB)/Coordenadora do Programa de Pós Graduação em Memória: Linguagem e Sociedade (PPGMLS/UESB).
Palavras-chave: Cientificismo, These Doutoral, Positivismo, Regeneração da sociedade

Resumo

Nesse artigo, selecionamos a these doutoral intitulada Alguns traços da população sob o ponto de vista hygiênico e evolucionista (1899), descrevemo-a e apresentamos como exemplo de trabalho que expõe compromissos indeléveis com o positivismo, uma metateoria empenhada em oferecer uma explicação política para entendermos a organização da sociedade. Por quê a these da Faculdade de Medicina da Bahia (FAMEB)? Porque tal instituição foi pródiga na assunção de ideologias propulsoras dos ideais de civilização e progresso. Porque nela, se formam "quadros sociais de memória" que foram se constituindo pela via da nossa participação enquanto membros de grupos sociais determinados. Na FAMEB, entre 1840 até 1928, foram publicadas 2502 theses doutorais, documentos que resultavam das exigências de conclusão do curso de medicina, com a diferença que no tempo em que foram produzidos, essas precisavam conter de 1 a 3 'ideias novas' para cada uma das cadeiras do curso e que não eram desenvolvidas. Aqui, selecionamos uma dessas theses e utilizando o método da análise de conteúdo, além de descrevê-la, analisamo-a. Já na conclusão evidenciamos que, do que se tratava é do estabelecimento de uma disciplina do corpo social, tomada enquanto reificadora das várias formas de liberdades individuais.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tânia Regina Braga Torreão Sá, Doutora em Memória: Linguagem e Sociedade da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (PPGMLS/UESB). Docente Assistente do Departamento de Ciências Humanas e Letras da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (DCHL/UESB).
Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal da Bahia (1996) e Mestrado em Geografia pela Universidade Federal da Bahia (2001).
Lívia Diana Rocha Magalhães, Docente Plena do Departamento de Filosofia e Ciências Humanas e Letras da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (DFCH/UESB)/Coordenadora do Programa de Pós Graduação em Memória: Linguagem e Sociedade (PPGMLS/UESB).
ossui graduação em Pedagogia (1983), mestrado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (1992), doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1999) com estágio na Universidade Complutense de Madri, Pós-Doutorado em Psicologia Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) com estágio na universidade Complutense de Madri. Atualmente é professora Plena da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, coordenadora do Museu Pedagógico e do Programa de Pós-Graduação em Memória:Linguagem e Sociedade, do PROCAD/UESB/UNICAMP/PUC/SP. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Política Educacional , atuando principalmente nos seguintes temas: educação, geração e memória geracional, história e história da educação.
Publicado
2017-06-22
Como Citar
TORREÃO SÁ, T. R. B.; MAGALHÃES, L. D. R. SCIENTIFICISMO "A MODA" BRASILEIRA: POSITIVISMO E REGENERAÇÃO SOCIAL. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 13, n. 24, p. 141 161, 22 jun. 2017.
Seção
Artigos