DESIGUALDADES TERRITORIAIS NOS INDICADORES DE MORTALIDADE INFANTIL DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, BRASIL

  • Rivaldo Mauro Faria Departamento de Geociências - Centro de Ciências Naturais e Exatas, Universidade Federal de Santa Maria Av. Roraima, 1000, Cidade Universitária, Santa Maria 97105-900, Prédio 17 - Sala 1135, Fone: (55) 3220-8623
Palavras-chave: Mortalidade Infantil, Desigualdades Territoriais, Pré-natal e Privação Social.

Resumo

O objetivo deste estudo é analisar as variações espaciais e as desigualdades territoriais nos indicadores de mortalidade infantil do estado do Rio Grande do Sul, Brasil. A pesquisa foi feita ao nível dos municípios, com dados agregados dos anos de 2009 à 2013 e tendo em vista os resultados (óbitos) e os determinantes (contexto) da mortalidade infantil. Todos os dados foram coletados em fontes secundárias oficiais, modelados em Sistema de Informação Geográfica e analisados com recursos da estatística espacial. Os resultados mostraram elevados coeficientes de mortalidade infantil (CMI), neonatal (CMIN) e pós-neonatal (CMIPN) nos municípios localizados ao sul do estado e baixos coeficientes ao norte, com tendência à formação de clusters. Em ambos os casos, foram encontradas relações importantes com os indicadores de privação social, cobertura da atenção básica e uso do pré-natal. Conclui-se, pois, que são necessárias políticas de desenvolvimento territorial que associem a redução da pobreza ao aumento da cobertura assistencial, ampliando-se o acesso aos serviços básicos de promoção à saúde infantil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rivaldo Mauro Faria, Departamento de Geociências - Centro de Ciências Naturais e Exatas, Universidade Federal de Santa Maria Av. Roraima, 1000, Cidade Universitária, Santa Maria 97105-900, Prédio 17 - Sala 1135, Fone: (55) 3220-8623

Prof. e Doutor em Geografia (IG/UNICAMP) com especiaização em estudos ambientais (PUC-MG) e pós-Doutoramento em Geografia (Universidade de Coimbra/Gabinete de Geografia da Saúde). Atualmente é Professor Adjunto do Departamento de Geociências da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), onde exerce as atividades da docência e da pesquisa nas áreas do planejamento urbano e regional, sob as temáticas das condições de vida e saúde da população, inserindo-as privilegiadamente no entendimento das condições territoriais do Cone Sul Latino-Americano.

Publicado
2016-12-16
Como Citar
FARIA, R. M. DESIGUALDADES TERRITORIAIS NOS INDICADORES DE MORTALIDADE INFANTIL DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, BRASIL. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 12, n. 23, p. 167 - 181, 16 dez. 2016.
Seção
Artigos