CONTRIBUIÇÕES DA GEOGRAFIA MÉDICA PARA O ESTUDO DO CÂNCER DE MAMA

  • Mônica Oliveira Alves Universidade Estadual de Montes Claros
  • Sandra Célia Muniz Magalhães Universidade Estadual de Montes Claros
  • Bertha Andrade Coelho Universidade Estadual Paulista
Palavras-chave: Geografia Médica, Neoplasias Malignas, Câncer de Mama.

Resumo

Na atualidade, a Geografia Médica tem dedicado importante contribuição para a espacialização e estudo de diversas moléstias que afligem o ser humano, como, por exemplo, as doenças crônicas, cânceres, doenças cardiovasculares, doenças tropicais e doenças infectocontagiosas, além dos estudos sobre a qualidade dos serviços de saúde. Dentro desse grupo de moléstias, as neoplasias malignas ou cânceres têm se destacado nos debates referentes ao processo saúde/doença por todo o mundo, tornando-se hoje um problema para os órgãos públicos competentes. O câncer é um conjunto de doenças, que têm em comum o crescimento desordenado de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se para outras regiões do corpo, entre as quais está o câncer de mama. Nesse contexto, este trabalho objetiva discutir as contribuições da Geografia Médica na espacialização e no estudo dos cânceres, com enfoque no câncer de mama. A metodologia utilizada consistiu em pesquisa bibliográfica e documental. Observou-se que o câncer de mama é o segundo tipo mais frequente no mundo e é o mais comum entre as mulheres, respondendo por inúmeros casos novos a cada ano. Ressalta-se que os estudos realizados no âmbito da Geografia Médica poderão contribuir com as políticas públicas de saúde no controle do câncer, principalmente o de mama, além de auxiliar no conhecimento dos fatores de risco, sejam eles sócio, econômico, cultural ou ambientais, que influenciam sua ocorrência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, Maria Eliane Brito de. Geografia Médica: origem e evolução. In: Doenças Endêmicas: abordagens sociais, culturais e comportamentais. Rita Barradas Barata, Roberto Briceño-León (Orgs.). Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 2000, págs. 151-166.

ANDRADE, Manuel Correia de. Geografia, ciência da sociedade: uma introdução à análise do pensamento geográfico. São Paulo: Atlas, 1987.

AMERICAN CANCER SOCIETY. Breast Cancer. Key Statistics for Breast Cancer. Disponível em: http://www.cancer.org/cancer/breastcancer/detailedguide/breast-cancer-key-statistics. Acessado em: 04 de novembro de 2014.

BARCELLOS, Christovam. A Geografia e o Contexto dos Problemas de Saúde. Christovam Barcellos (Org.). Rio de Janeiro: Abrasco, 2008.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer. ACHATZ, Maria Isabel Waddington. Síndrome de Li-Fraumeni. In: Rede nacional de câncer familial: manual operacional. Rio de Janeiro: INCA, 2009, págs. 9-14. Disponível em: http://www.inca.gov.br/inca/Arquivos/publicacoes/Cancer_Familial_fim.pdf. Acessado em: 04 de novembro de 2014.

________. Ministério da Saúde, Instituto Nacional do Câncer. Câncer de mama. Disponível em: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/mama/cancer_mama. Acessado em: 23 de setembro de 2014.

________. Ministério da Saúde. Controle do Câncer de Mama: Documento de Consenso. 2004. Disponível em: http://www.inca.gov.br/publicacoes/consensointegra.pdf. Acessado em: 30 de outubro de 2014.

________. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer. SEU

________. Ministério da Saúde. Instituto Nacional do Câncer. O que é o câncer? 2014. Disponível em: http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?id=322. Acessado em: 23 de setembro de 2014.

________. Ministério da Saúde. Instituto Nacional do Câncer. Tipos de Câncer. Mama. Disponível em: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/mama. Acessado em 27 de setembro de 2014.

CANADIAN CANCER SOCIETY. Breast cancer. Breast cancer statistics. Disponível em: http://www.cancer.ca/en/cancer-information/cancer-type/breast/statistics/?region=on. Acessado em: 04 de novembro de 2014.

CANCER RESEARCH UK. Breast cancer. Breast cancer mortality statistics. Disponível em: http://www.cancerresearchuk.org/cancer-info/cancerstats/types/breast/mortality/. Acessado em: 04 de novembro de 2014.

CARVALHO, Adonis R. L. de. Tumores e Geografia Médica. In: Introdução à Geografia Médica do Brasil. Carlos da Silva Lacaz, Roberto G. Baruzzi, Waldomiro Siqueira Jr. (Orgs.). São Paulo: Edgard Blucher, 1972. p. 489-503.

CZERESNIA, Dina. Promoção da Saúde: conceitos, reflexões, tendência. Dina Czeresnia (Org.). Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2003.

GODOY, Paulo R. Teixeira de. História do pensamento geográfico e epistemologia em Geografia. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

LACAZ, Carlos da Silva. Conceituação, atualidade e interesse do tema: súmula histórica. In: Introdução à Geografia Médica do Brasil. Carlos da Silva Lacaz, Roberto G. Baruzzi, Waldomiro Siqueira Jr. (Orgs.). São Paulo: Edgard Blucher, 1972. p. 1-22.

MAGALH

MAZETTO, Francisco de Assis Penteado. Pioneiros da Geografia da Saúde: séculos XVIII, XIX e XX. In: A Geografia e o contexto dos problemas de saúde. Christovam Barcellos (Org.). Rio de Janeiro: Abrasco, 2008.

MENDONCA, Gulnar Azevedo e Silva. SILVA, Aline Moraes da. CAULA, Wagner Manoel. Características tumorais e sobrevida de cinco anos em pacientes com câncer de mama admitidas no Instituto Nacional de Câncer, Rio de Janeiro, Brasil. Cad. Saúde Pública [online]. 2004, vol.20, n.5, pp. 1232-1239. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2004000500017. Acessado em: 30 de outubro de 2014.

PESS

SANTOS, Milton. Por uma geografia nova: da crítica da geografia à uma geografia crítica. 3ª ed. São Paulo: Hucitec, 1986.

SCHNEIDER, Ione Jayce Ceola. D

Publicado
2014-12-17
Como Citar
ALVES, M. O.; MAGALHÃES, S. C. M.; COELHO, B. A. CONTRIBUIÇÕES DA GEOGRAFIA MÉDICA PARA O ESTUDO DO CÂNCER DE MAMA. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 10, n. 19, p. 86 - 96, 17 dez. 2014.
Seção
Artigos