A IMPORTÂNCIA DA SOBERANIA ALIMENTAR PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE NOS ASSENTAMENTOS DA REFORMA AGRÁRIA

  • André Luis Ferreira Lima Universidade Federal de Uberlândia

Resumo

Esse texto partiu de uma breve reflexão geográfica sobre a importância da Soberania Alimentar para a promoção da saúde dos beneficiários da Reforma Agrária. Considerando os princípios da multidisciplinaridade que oferece a ciência geográfica propomos aplicar informações da Questão Agrária a luz da Geografia Médica, buscando entender quais os fatores preponderantes para a promoção da saúde nos Assentamentos rurais espalhados pelo território brasileiro. O conceito de Geografia Médica defendido pelos pesquisadores Carlos S. Lacaz e Samuel Pessoa foi utilizado aqui como instrumento de reconhecimento dos fatores de risco para a saúde da população destes locais. Organizada a partir deste eixo reflexivo, a pesquisa visou compreender a natureza das relações de produção elegendo a soberania alimentar como uma das politicas fundamentais para garantir uma alimentação saudável para os assentados. O trabalho propôs ilustrar que o modelo de produção baseado na policultura e no respeito ao meio-ambiente é essencial para o equilíbrio homem/natureza, e que, o direito a intervir nos processos decisórios de produção e comercialização e consumo de alimentos enquanto síntese das relações econômicas e social é vital para o desenvolvimento humano das famílias assentadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-07-25
Como Citar
LIMA, A. L. F. A IMPORTÂNCIA DA SOBERANIA ALIMENTAR PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE NOS ASSENTAMENTOS DA REFORMA AGRÁRIA. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 10, n. 18, p. 273 - 281, 25 jul. 2014.
Seção
Artigos