VULNERABILIDADE ESPACIAL DA DENGUE E SUA RELAÇÃO COM A VARIABILIDADE TERMOPLUVIOMÉTRICA EM JOÃO PESSOA-PB

  • Richarde Marques da Silva Departamento de Geociências/Universidade Federal da Paraíba
  • Alexandro Medeiros Silva Bolsista de Iniciação Científica do CNPq/ Universidade Federal da Paraíba.
  • José Jeferson Silva Chaves Graduando em Geografia/ Universidade Federal da Paraíba.
Palavras-chave: SIG, Geografia da saúde, espaço urbano

Resumo

O objetivo desse artigo é identificar os padrões de distribuição espacial dos casos de dengue ocorridos na cidade de João Pessoa-PB e investigar os fatores climáticos associados com a incidência de dengue no período entre 2007 e 2011. Esse é um estudo exploratório que usa ferramentas de análise espacial na preparação de mapas temáticos com dados do Sinan-Net. Os dados termopluviométricos foram coletados junto ao Instituto Nacional de Meteorologia − INMET, e os casos de dengue foram obtidos na Secretaria de Saúde do Município de João Pessoa. No total foram notificados 9.467 casos confirmados de dengue, assim distribuídos: 33,2% no ano de 2007, 8,8% em 2008, 2,6% em 2009, 12,4% em 2010, e 42,9% em 2011. As maiores ocorrências de casos de dengue ocorram na porção sul do município. Verificou-se que a precipitação e a umidade relativa do ar são as variáveis climáticas que mais favorecem a ocorrência de dengue.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Richarde Marques da Silva, Departamento de Geociências/Universidade Federal da Paraíba
Geógrafo, Mestre em Engenharia Urbana e Doutor em Engenharia Civil. Professor Adjunto II da Área de Cartografia e Geoprocessamento

Referências

ANDREOLI, R.V.; KAYANO, M.T. A importância relativa do atlântico tropical sul e pacífico leste na variabilidade de precipitação do Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Meteorologia, v. 22(1), 63-74, 2007.

BARCELLOS, C.; PUSTAI, A. K.; WEBER, M. A.; BRITO, M. R. V. Identificação de locais com potencial de transmissão de dengue em Porto Alegre através de técnicas de geoprocessamento. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 38(3), 246- 250, 2005.

BARRERA, R.; DELGADO, N.; JIM

BRAGA, C.; XIMENES, R.A.A.; ALBUQUERQUE, M.F.P.M.; SOUZA, W.V.; MIRANDA, J.; BRAYNER, F. Avaliação de indicador sócio-ambiental utilizado no rastreamento de áreas de transmissão de filariose linfática em espaços urbanos. Cadernos de Saúde Pública, 17(5), 1211-1218, 2001.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução Nº 196 de 10 de outubro de 1996. Disponível em: http://dtr2004.saude.gov.br/susdeaz/legislacao/arquivo/Resolucao_196_de_10_10_1996.pdf. Acessado em: 06 de novembro de 2013.

C

CAMARA, F. P. et al . Estudo retrospectivo (histórico) da dengue no Brasil: características regionais e dinâmicas. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 40(2), 192-196, 2007.

CHEN, W.J.; CHEN, L.J.; CHEN, C.C.; KING, C.C.; HARN, M.R. Silent transmission of dengue virus en Southern Taiwan. American Journal of Tropical Medicine and Hygiene, 55(1), 12-26, 1996.

FLAUZINO, R.F.; SOUZA-SANTOS, R.; BARCELLOS, C.; GRACIE, R.; MAGALH

G

HASSAN, H.; SHOHAIMI, S.; HASHIM, N. R.. Risk mapping of dengue in Selangor and Kuala Lumpur, Malaysia. Geospatial Health, 7(1), 21-25, 2012.

KHORMI, H. M.; KUMAR, L. Assessing the risk for dengue fever based on socioeconomic and environmental variables in a geographical information system environment. Geospatial Health, 6(2), 171-176, 2012.

KHORMI, H. M.; KUMAR, L.; ELZAHRANY, R. A. Modeling spatio-temporal risk changes in the incidence of dengue fever in Saudi Arabia: a geographical information system case study. Geospatial Health, 6(1), 77-84, 2011.

MENA, N.; TROYO, A.; BONILLA-CARRI

MINIST

MONDINI, A.; CHIARAVALLOTI NETO, F.; GALLO Y SANCHES, M.; LOPES, J. C. Análise espacial da transmissão de dengue em cidade de porte médio do interior paulista Spatial analysis of dengue transmission in a medium-sized city in Brazil. Revista Saúde Pública, 39(3), 444-451, 2005.

SILVA, R.M.; SILVA, L.P.; MONTENEGRO, S.M.G.L.; SANTOS, C.A.G. Análise da variabilidade espaço-temporal e identificação do padrão da precipitação na bacia do rio Tapacurá, Pernambuco. Sociedade & Natureza, 22(4), 357-372, 2010.

SILVA, R. M.; COSTA, S. G. F.; PINTO, H. R. F.; PINTO, K. R. F. Análise espacial da endemia hansênica no município de Bayeux (PB) mediante técnicas de SIG. Sociedade & Natureza, 24(2), 345-358, 2012b.

SILVA, R. M.; PINTO, H. R. F.; COSTA, S. G. F.; PINTO, K. R. F. Modelagem geoespacial e temporal da hanseníase entre 2001 e 2011 no município de Bayeux, Paraíba. Hygeia, 8(15), 89-103, 2012a.

TIPAYAMONGKHOLGUL, M.; LISAKULRUK, L. Socio-geographical factors in vulnerability to dengue in Thai villages: a spatial regression analysis. Geospatial Health, 5(2), 191-198, 2011.

Publicado
2014-07-25
Como Citar
SILVA, R. M. DA; SILVA, A. M.; CHAVES, J. J. S. VULNERABILIDADE ESPACIAL DA DENGUE E SUA RELAÇÃO COM A VARIABILIDADE TERMOPLUVIOMÉTRICA EM JOÃO PESSOA-PB. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 10, n. 18, p. 177 - 189, 25 jul. 2014.
Seção
Artigos