CIRCUITOS ESPACIAIS DA LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA NO ESTADO DO PARANÁ

  • Glauco Nonose Negrão Universidade Estadual de Maringá - UEM
  • Maria Eugênia Moreira Costa Ferreira Universidade Estadual de Maringá
Palavras-chave: leishmaniose tegumentar americana, circuitos espaciais, biogeografia.

Resumo

Para compreensão dos aspectos epidemiológicos da expansão territorial da leishmaniose tegumentar americana (LTA) no Estado do Paraná, entre 2001 a 2010, torna-se necessário levar em consideração fatores geográficos que intervieram na transmissão da doença; observando-se uma diversidade regional e local de ciclos ecológicos, resultando em distintos padrões de transmissão. A delimitação de circuitos espaciais, segundo a produção da doença, fornecem subsídios para medidas profiláticas específicas de cunho local e regional. A doença apresenta-se como ocupacional com ocorrência distribuída em diferentes faixas etárias e aumento dos casos femininos segundo três modelos: silvestre, onde o homem costuma desenvolver atividades ligadas à agricultura e rotina; áreas de colonização recente, com surtos associados à exploração ambiental desordenada e silvestre modificada, com surtos sazonais em área peridomiciliar em áreas de focos com matas residuais. Em área urbana, ocorre de forma endemo-epidêmica domiciliar ou peridomiciliar, com participação de animais domésticos como reservatórios, aspectos ecológicos distintos, dominância de vetores e condições sanitárias específicas. Notam-se as influências da organização espacial urbana e fenômenos migratórios, direcionando a difusão a partir de áreas com alta prevalência, seja em escala regional ou local. Estudos geográficos representam valiosos subsídios para compreensão epidemiológica e planejamento de atividades de saúde pública.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Glauco Nonose Negrão, Universidade Estadual de Maringá - UEM
Licenciatura e bacharelado em Ciências Biológicas com ênfase em biotecnologia - UNIPAR - campus Paranavaí Licenciatura em Geografia - Universidade Estadual de Maringá - UEM Especialização em Gestão Ambiental - Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Paranavaí - UNESPAR - FAFIPA Mestrado em Geografia da Saúde - Universidade Estadual de Maringá - UEM Doutorado em Geografia da Saúde - Universidade Estadual de Maringá - UEM Professor Colaborador - Departamento de Geografia - Universidade Estadual do Centro - Oeste - UNICENTRO - Guarapuava - PR
Publicado
2013-12-27
Como Citar
NEGRÃO, G. N.; FERREIRA, M. E. M. C. CIRCUITOS ESPACIAIS DA LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA NO ESTADO DO PARANÁ. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 9, n. 17, 27 dez. 2013.
Seção
Artigos