PERFIL HISTÓRICO DO ESCORPIONISMO EM AMERICANA, SÃO PAULO, BRASIL

  • Jardel Brasil Graduando em Ciências Biológicas/ Universidade Estadual de Campinas.
  • Stefan Zumkeller Graduando em Medicina Veterinária/ Faculdade Anhanguera de Campinas.
  • José Brites-Neto Médico Veterinário da Vigilância Epidemiológica Secretaria de Saúde de Americana/SP
Palavras-chave: Escorpionismo, Historicismo, Urbanismo, Sinantropia

Resumo

O meio urbano é caracterizado por constantes ações antrópicas que influenciam diretamente na redução de ambiências naturais e modificação de hábitats. Alterações no meio ambiente provocadas pelo homem como, desmatamentos, utilização indiscriminada de agrotóxicos e crescimento urbano desordenado, parecem ser as principais causas de desequilíbrios em populações de escorpiões. No município de Americana, algumas espécies adaptaram-se ao contexto urbano, culminando em aumento de sua frequência sinantrópica. O Tityus serrulatus adaptou-se ao meio domiciliar através do favorecimento das condições ambientais associadas a aspectos de sua fisiologia reprodutiva e de seu hábitat alternativo em galerias de esgoto que se tornaram vias de acesso às residências. Ainda no início do século XX, já havia queixas de casos com escorpiões, favorecidos pela umidade relativa local mais elevada, em razão das áreas hidrográficas que contornavam o município e também pelas áreas rurais de culturas agrícolas (cereais, laranja, banana, melancia, algodão e cana-de-açúcar) existentes à época. Este trabalho apresenta contextos históricos das possíveis causas que vieram a contribuir para a origem do escorpionismo em áreas urbanas do município de Americana/SP.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Brites-Neto, Médico Veterinário da Vigilância Epidemiológica Secretaria de Saúde de Americana/SP
Possui Graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1984) e Mestrado em Produção Animal Sustentável pelo Instituto de Zootecnia de Nova Odessa/SP (2011). Atualmente é Médico Veterinário da Secretaria de Saúde / Prefeitura Municipal de Americana/SP e Doutorando em Microbiologia Agrícola pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz - ESALQ. Tem experiência na área de Saúde Pública, com ênfase em Saúde Pública Veterinária, atuando principalmente nos seguintes temas: Controle de Zoonoses, Vigilância Sanitária de Alimentos, Vigilância Epidemiológica (Raiva, Leptospirose e Febre Maculosa Brasileira), Entomologia Médica, Parasitologia Veterinária, Controle e Manejo de Escorpiões, Manejo de Animais Silvestres e Enfermidades de Peixes Neotropicais.

Referências

BARRAVIEIRA, B. Venenos: Aspectos clínicos e terapêuticos dos acidentes por animais peçonhentos. Rio de Janeiro: Epub, 1999.

BIANCO, J. Americana

BORTOLUZZI, L.R.; QUEROL, M.V.M.; QUEROL, E. Notas sobre a ocorrência de Tityus serrulatus Lutz & Mello, 1922 (Scorpiones, Buthidae) no oeste do Rio Grande do Sul, Brasil. Biota Neotrop [online], v. 7, n. 3, p. 357-359, 2007.

BRASIL. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. Gestão da comunicação aplicada à vigilância em saúde: a percepção dos gestores (relatório de pesquisa). Brasília, 2008.

BRASIL. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. Manual de controle de escorpiões. Brasília, 2009.

BRAZIL, T.K.; PORTO, T.J. Os escorpiões. Salvador: EDUFBA, 2010.

BRAZIL, T.K.; LIRA-DA-SILVA, R.M.; PORTO, T.J.; AMORIM, A.M.; SILVA, T.F. Escorpiões de importância médica do estado da Bahia, Brasil. Gaz méd Bahia, v. 79, p. 38-42, 2009.

BRITES-NETO, J.; BRASIL, J. Estratégias de controle do escorpionismo no município de Americana, SP. Bol Epidemiol Paul, v. 9, n. 101, p. 4-15, 2012.

BRITTEN, N. Qualitative interviews. In: POPE, C.; MAYS, N. Qualitative research in health care. 3. ed. London: Blackwell Publishing e BMJ Books, 2006.

BROWNELL, P.; POLIS, G. Scorpion biology and research. New York: Oxford University Press, 2001.

B

B

CAMPOS, O.M. Scorpions of Brazil. Mem Inst Oswaldo Cruz, v. 17, n. 2, p. 237-363, 1924.

DIAS, E.; LIBANIO, S.; LISBOA, M. The Struggle against Scorpions. Mem Inst Oswaldo Cruz, v. 17, n. 1, p. 5-44, 1924.

GOMES-JUNIOR, F.S. Prophylaxia do Impaludismo em Villa Americana, Nova Odessa, Carióba e Salto Grande. São Paulo: Weiszflog Irmãos, 1919.

GUERRA, C.M.N.; CARVALHO, L.F.A.; COLOSIMO, E.A.; FREIRE, H.B.M. Analysis of variables related to fatal outcomes of scorpion envenomation in children and adolescents in the state of Minas Gerais, Brazil, from 2001 to 2005. J Pediatr, v. 84, n. 6, p. 509-515, 2008.

JO

LOUREN

LOUREN

LUCAS, S.M.; GOLDONI, P.A.M.; CANDIDO, D.M.; KNYSAK, I. Butantan Institute: strategies to obtain scorpions for the production of anti-scorpion serum. J Venom Anim Toxins incl Trop Dis, v. 16, p. 530-533, 2010.

NODARI, F.R.; LEITE, M.L.; NASCIMENTO, E. Aspectos demográficos, espaciais e temporais dos acidentes escorpiônicos ocorridos na área de abrangência da 3ª regional de saúde, Ponta Grossa, PR, no período de 2001 a 2004. Publ UEPG Ci Biol Saúde, v. 12, n. 1, p. 15-26, 2006.

OLIVEIRA, F.N. Toxidade da peçonha de Tityus serrulatus procedente do Distrito Federal por meio da avaliação da DL50, efeitos da peçonha e edema pulmonar induzido. Brasília, 2011. 125 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade de Brasília.

OUTEDA-JORGE, S. Corte e aspectos da biologia reprodutiva do escorpião brasileiro Tityus bahiensis (Scorpiones: Buthidae). São Paulo, 2010. 179 f. Dissertação (Mestrado em Ciências, Zoologia) - Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo.

PALUMBO, E.S. As Transformações Urbanas da Área Central de Americana. Campinas, 2007. 155 f. Dissertação (Mestrado em Urbanismo) - Centro de Ciências Exatas, Ambientais e Tecnológicas, Pontifícia Universidade Católica de Campinas.

PICOLI, I. Terreno. O Município: Semanário Independente Noticioso e Comercial. n. 16, p. 6, 17 Fev., 1924.

POLIS, G.A. The biology of scorpions. Stanford: Stanford University Press, 1990.

POLIS, G.A.; SISSON, W.D. Life history. In: POLIS, G.A. (Ed.). The biology of scorpions. Stanford: Stanford University Press, 1990.

POPE, C.; MAYS, N. Qualitative research in health care. 3. ed. London: Blackwell Publishing e BMJ Books, 2006.

SILVA, D.P.; AROSSA, C.; CRUZ, M.J.R.; LIMA, R.P. Acidentes escorpiônicos e suas implicações epidemiológicas em Anápolis, GO. In: Anais do 4º Seminário de Iniciação Científica da Universidade Estadual de Goiás. Anápolis, BR, 2006, p. 191-197.

SISSOM, W.D. Systematics, biogeography, paleontology. In: POLIS, G.A. (Ed.). The biology of scorpions. Stanford: Stanford University Press, 1990, p. 64-160.

SOERENSEN, B. Animais peçonhentos: reconhecimento, distribuição geográfica, produção de soros, clínica e tratamento dos envenenamentos. São Paulo: Livraria e Editora Atheneu, 1990.

STOCK, S.C.V. Benamata: um lugar, uma herança. Campinas, 2009. 272 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas.

SZILAGYI-ZECCHIN, V.J.; FERNANDES, A.L.; CASTAGNA, C.L.; VOLTOLINI, J.C. Abundance of scorpions Tityus serrulatus and Tityus bahiensis associated with climate in urban area (Scorpiones, Buthidae). Indian Journal of Arachnology, v. 1, n. 2, p. 15-23, 2012.

Publicado
2013-12-27
Como Citar
BRASIL, J.; ZUMKELLER, S.; BRITES-NETO, J. PERFIL HISTÓRICO DO ESCORPIONISMO EM AMERICANA, SÃO PAULO, BRASIL. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 9, n. 17, 27 dez. 2013.
Seção
Artigos