O CLIMA E AS DOENÇAS CIRCULATÓRIAS E RESPIRATÓRIAS EM FLORIANÓPOLIS/SC

  • Pedro G. Murara Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Magaly Mendonça Professora Pós-Doutora do Departamento de Geociências da Universidade Federal de Santa Catarina
  • Carla Bonetti Professora Pós-Doutora do Departamento de Geociências da Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Doenças Respiratórias, Doenças Circulatórias, Clima e Saúde

Resumo

É sabido que o homem, em constante contato com a atmosfera, é influenciado pela sua dinâmica, assim como, pode, de certo modo, alterar as características locais do ambiente que nos cerca. Objetivando avaliar a relação existente entre o clima e a saúde humana, esta pesquisa tem como foco as relações entre os elementos climáticos e as principais doenças do aparelho circulatório (DAC) e respiratório (DAR) no município de Florianópolis - SC. A partir da compreensão da distribuição dos elementos climáticos, analisaram-se as correlações existentes entre estes e as doenças na última década (2001 a 2010). Por meio da utilização de gráficos e análises estatísticas, esta pesquisa identificou uma fraca correlação com DAC e moderada correlação com DAR. Os elementos climáticos explicaram apenas, 16% do comportamento das internações pelas DAC. As doenças respiratórias apresentaram no período de inverno os maiores registros de internações, correlacionado-se moderadamente com as medias mensais de temperatura e com a pressão atmosférica (ambas com correlações inversamente proporcionais). Neste caso, 43% do comportamento das internações pode ser explicado pelos elementos climáticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro G. Murara, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Geográfo (lic/bac) - Mestre em Geografia (UFSC) Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Santa Catarina.

Referências

ANDRIOTTI, J. L. S. Fundamentos de Estatística e Geoestatística. Ed. UNISINOS, São Leopoldo, p. 165. 2003.

BARROS, J. R. Tipos de tempo e incidências de doenças respiratórias: um estudo geográfico aplicado ao Distrito Federal. Rio Claro, 2006. Tese (Doutorado em Geografia). Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual paulista, Rio Claro.

BERGINER, V.; GOLDSMITH, J.; BATZ, U.; VARDI, H.; SHAPIRO, Y. Clustering of strokes in associations with meteorologic factors in the Negev Desert of Israel: 1981-1983. In: Stroke - Journal of the American Heart Association. Dallas, v. 20, p. 65-69. 1988.

BHASKARAN, K.; HAJAT, S.; HAINES, A. Short term effects of temperature on risk of myocardial infarctio in England and Wales: time serie regression analysis of the Myocardial Ischaemia National Audit Project (MINAP) registry In: British Medical Journal. London, v. 341, c3823, p. 1-10, 2010.

CALIKEVSTZ, V. G.; ANDRADE, A. R.; ROSEGHINI, F. F. A influência dos elementos meteorológicos nas internações respiratórias do sistema de saúde: o caso de Fernandes Pinheiros - PR. In: SIMP

CASTILHO, F. J. V. Abordagem geográfica do clima urbano e das enfermidades em São José do Rio Preto/SP. Rio Claro, 2006. 288p. Dissertação (Mestrado em Meteorologia)

CRUZ, O. A Ilha de Santa Catarina e o continente próximo; um estudo de geomorfologia costeira. Florianópolis: Ed. Da UFSC, 1998.

DATASUS. Departamento de Informática do Sistema

GON

HERRMANN, M. L. P. Problemas Geoambientais na Faixa Central do Litoral Catarinense. 1999. Tese (Doutorado em Geografia Física)

HERRMANN, M. L. P. (org.) Atlas de Desastres Naturais do Estado de Santa Catarina.146p. Florianópolis: IOESC, 2005.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Dados do censo 2010 publicados no Diário Oficial da União no dia 04 de Nov. de 2010.

JORGE, E. L. J. O padrão de sazonalidade das internações por Insuficiência Cardíaca em Niterói no período de 1996 a 2004. 2007. 110. Dissertação (Mestrado em Ciências Cardiovasculares)

LACAZ, C. S. Introdução à Geografia Médica do Brasil. São Paulo: EDUSP, 1972.

LANDIM, P. M. B. Análise estatística de dados geológicos. Edição, 2. Editora UNESP, 2003.

MENDON

MINIST

MONTEIRO, C. A. F. Teoria e clima urbano. São Paulo, 1975. 119p. Tese de Livre-Docência

MONTEIRO, C. A. F. A questão ambiental na Geografia do Brasil. In: Cadernos Geográficos

MONTEIRO, C. A. F.; SEZERINO, M. L. O Campo Térmico na cidade de Florianópolis: primeiros experimentos. In: GEOSUL, Florianópolis, n. 9, ano V, p. 20-60, jan./jun. 1990.

MONTEIRO, M. A. Avaliação das condições atmosféricas de Florianópolis para controle da Qualidade do ar. 1992, 69p. Monografia (Graduação em Geografia) - Departamento de Geociências da UFSC, Florianópolis.

MORAES, A. C. R. Geografia: pequena história crítica. 20 ed. São Paulo: Annablume, 2005.

MURARA, P. Variabilidade Climática e Doenças Circulatórias e Respiratórias em Florianópolis (SC): uma contribuição à Climatologia Médica. 2012. Dissertação (Mestrado em Geografia)

PAMPLONA, M. Mapeamento da ocupação do solo como base para o estudo do clima local gerado pelo espaço urbanizado da cidade de Florianópolis na Ilha de Santa Catarina/SC. 1999, 133p. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Depto de Geociências, Florianópolis: UFSC, CPGG.

PEIXOTO, A. Clima e Saúde. São Paulo: Cia Editora Nacional, 1938.

SACCO, F.G. Configurações atmosféricas em eventos de estiagem de2001 a 2006 na Mesorregião Oeste Catarinense. Florianópolis, 2010. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas.

SHINKAWA, A.; UEDA, K.; HASUO, Y.; KIYOHARA, Y.; FUJISHIMA, M. Seasonal variation in stroke incidence in Hisayama, Japan. In: Stroke - Journal of the American Heart Association. Dallas, v. 21, p. 1262-1267. 1990.

SIM

SOBEL, E.; ZHANG, Z.; ALTER, M.; LAI, S.; DAVANIPOUR, Z.; FRIDAY, G.; McCOY, R.; ISACK, T.; LEVITT, L. Stroker in the Lehigh Valley: seasonal variation in incidence rates. In: Stroke - Journal of the American Heart Association. Dallas, v. 18, p. 38-42. 1987.

SORRE, M. Les fondements de la géographie humaine: lês fondements biologiques; essai d

SOUSA, N. M. N.; DANTAS, R. T.; LIMEIRA R. C. Influência de variáveis meteorológicas sobre a incidência do dengue, meningite e pneumonia em João Pessoa-PB. In: Revista Brasileira de Meteorologia, São José dos Campos, v. 22, n. 2, p. 183-192, 2007.

SOUZA, C. G. de. A influência do ritmo climático na morbidade respiratória em ambientes urbanos. Presidente Prudente, 2007. 179p. Dissertação (Mestrado em Geografia)

VALEN

Publicado
2013-06-19
Como Citar
MURARA, P. G.; MENDONÇA, M.; BONETTI, C. O CLIMA E AS DOENÇAS CIRCULATÓRIAS E RESPIRATÓRIAS EM FLORIANÓPOLIS/SC. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 9, n. 16, p. 86 - 102, 19 jun. 2013.
Seção
Artigos