OS SERVIÇOS DA SAÚDE NA CIDADE DE MARINGÁ-PR: UMA ABORDAGEM DA CENTRALIDADE URBANA

  • José Roberto Machado Universidade Estadual de Maringá
  • Márcia Siqueira de Carvalho Universidade Estadual de Londrina
Palavras-chave: Centralidade, Espaço Urbano, Saúde

Resumo

O espaço urbano é carregado de processos que se materializam em diferentes formas espaciais. Assim, o presente texto, intenta, a partir da consideração do processo dialético entre o espaço urbano e seus agentes atuantes na (re)produção desse espaço, fazer uma reflexão que possibilitem compreender, a partir dos reflexos desse embate, as diferentes centralidades urbanas em Maringá, que se traduzem num processo territorial, mostrando algumas especificidades da área da saúde enquanto equipamentos de usos coletivos. Nesse contexto, o trabalho visa identificar e analisar as diferentes centralidades urbanas no que diz respeito aos serviços privados da saúde em Maringá, através da concentração de atividades e fluxos de pessoas, que são importantes para a compreensão da (re)estruturação urbana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Roberto Machado, Universidade Estadual de Maringá
Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Geografia, PGE, da Universidade Estadual de Maringá, UEM; Professor da UNIESP, unidade de Nova Esperança; Bolsista da CAPES
Márcia Siqueira de Carvalho, Universidade Estadual de Londrina
Docente do Departamento de Geociências da Universidade Estadual de Londrina; Docente do Programa de Pós-Graduação em Geografia, PGE, da Universidade Estadual de Maringá, UEM;

Referências

CARLOS, A. F. A. Espaço-tempo na metrópole: a fragmentação da vida cotidiana.

São Paulo: Contexto, 2001.

CAMARGO JR, W. V. P. de. Os Sintomas do Território Usado: a saúde em Campinas. In. SOUZA, M. A. A. de. (org.). Território Brasileiro: Usos e Abusos. Campinas: Territorial editora, 2003. p. 583-596.

CASTELLS, M. A Questão Urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

CASTELLS, M. Innovation techonoligique et centralité urbaine. Cahiers de recherché sociologiqué. Paris, 1988, vol. 6, n. 2. p. 28-36.

COLBY, C. C. Centrifugal and Centripetal Forces in Urban Geography. In: KOHN, C.; MAYER, R. (eds). Readings in Urban Geography. Chicago: The Chicago Unversity Press, 1958. p. 287-298.

CORDEIRO, H. K. O centro da metrópole paulistana. São Paulo: USP-IG, 1980.

CORR

______. O Espaço Urbano. São Paulo: Ática, 4º Edição, 1999.

DEL RIO, V.; OLIVEIRA, L. de (Org.). Percepção Ambiental: a experiência brasileira. 2º ed. São Paulo: Studio Nobel; 1999.

FILHO, V. R. A Área Central e Sua Dinâmica: Uma Discussão. In: Sociedade & Natureza, Uberlândia,2004. v.16, n.31, p. 155-167.

GEIGER, P. P. As formas do Espaço Brasileiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed. 2003.

LEFEBVRE, Heri. La revolución urbana. Madri, Espanha. Alianza Editoral, 1983.

MACHADO, J. R. As centralidade e as (Des)centralidades: um olhar geográfico sobre a espacialidade dos serviços da saúde na cidade de Maringá. 2004. Dissertação (Mestrado em Geografia)

MENDES, C. M. O Edifício no Jardim: um Plano Destruído. A Verticalização de Maringá. 1992. Tese (Doutorado em Geografia)

PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO, Prefeitura Municipal de Maringá. Maringá. Secretaria de Planejamento, 2000.

RAMIRES, J. C. & SOARES, B. R. O arranha-céu e a modernização da paisagem urbana de Uberlândia. História e Perspectiva, Uberlândia, 1995.n. 12/13, jan./dez. p.29-57.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização - do pensamento único à consciência universal. São Paulo: Record, 2000.

SANTOS, M. Economia espacial: Críticas e alternativas. São Paulo: Hucitec, 1979.

SANTOS, M. & SILVEIRA, M. L. O Brasil: Território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2001.

SEABRA,O. C. De L. A insurreição do uso. In: MARTINS, J. de S. (Org.). Henri Lefebvre e o retorno da dialética. São Paulo: Hucitec, 1996, p. 71-86.

SILVA, W. R. da. Para Além das Cidades. Centralidade e Estruturação Urbana: Londrina e Maringá. Presidente Prudente, Unesp. 2006. (Tese de Doutorado)

SOUZA, M. A. de. A Identidade da Metrópole

SPOSITO, M. E. B. Multi(poli)centralidade urbana. Presidente Prudente, Gasperr, xerop., 1996.

______. Novas Formas Comerciais e Redefinição da Centralidade Intra-Urbana. Textos e contextos para leituras geográficas de uma cidade de médio porte. Presidente Prudente: Pós-Geo Prudente/GASPPER, 2001, p. 235-254.

VILLA

Publicado
2013-12-27
Como Citar
MACHADO, J. R.; CARVALHO, M. S. DE. OS SERVIÇOS DA SAÚDE NA CIDADE DE MARINGÁ-PR: UMA ABORDAGEM DA CENTRALIDADE URBANA. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 9, n. 17, 27 dez. 2013.
Seção
Artigos