FATORES AMBIENTAIS ENVOLVIDOS NA EPIDEMIOLOGIA DA FEBRE MACULOSA NO ESTADO DE SÃO PAULO

  • Mateus Duarte Ribeiro Universidade de Franca
  • Michelle Andrade Furtado Mestre em Promoção de Saúde Departamento de Ciência do Sistema Terrestre/Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
  • Antônio Sérgio Ferraudo Departamento de Ciências Exatas, FCVA/UNESP Jaboticabal
  • Manuel Cesario Promoção de Saúde, Universidade de Franca
  • Mônica de Andrade Morraye Promoção de Saúde, Universidade de Franca
Palavras-chave: Febre Maculosa Brasileira, Uso e Cobertura do Solo, Pluviometria, Temperatura.

Resumo

O objetivo deste estudo foi caracterizar a distribuição espaço-temporal da (Febre Maculosa Brasileira) FMB, uma doença reemergente no Estado de São Paulo, entre os anos de 1998 e 2010 correlacionando-os com dados de precipitação, temperatura e uso e cobertura do solo. Utilizou-se a base de dados do Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Instituto Florestal e Centro Integrado de Informações Agrometereológicas. As análises de distribuição espacial foram realizadas através do programa Terraview 4.2. Entre 1998 e 2010, foram notificados 391 casos de FMB no Estado de São Paulo. O índice de Moran Global mostrou correlação espacial positiva significativa (r=0,223362; p=0,01), sendo as áreas prioritárias de ocorrência de FMB as Regiões de Campinas, Piracicaba e Ubatuba. Os resultados dos coeficientes de correlação indicaram maiores índices de incidência de FMB nas regiões mais densamente ocupada do Estado de São Paulo e desses municípios aqueles com menores áreas de remanescente florestal, maior porcentagem da população residente em área rural e maior área plantada, com o maior potencial para ocorrência de FMB. A associação entre variáveis climáticas e FMB foi pouco evidente, significativo apenas para a Piracicaba. Dentre os múltiplos fatores envolvidos na epidemiologia da FMB, os fatores ecológicos e climáticos exercem influência sobre o ciclo de vida dos vetores, hospedeiros e reservatórios, o que pode estar influenciar a distribuição espaço-temporal dessa doença.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mateus Duarte Ribeiro, Universidade de Franca
Promoção de Saúde

Referências

ALLAN, B.F.; KEESING, F.; OSTFELD, R.S. Effect of Forest Fragmentation on Lyme Disease Risk. Conservation Biology, v. 17, n. 1, p. 267

ANDRADE-MORRAYE, M. et al. O Mapa da Febre Maculosa no Estado de São Paulo de 1998 a 2008. In: II CONGRESSO INTERNACIONAL E IV SIMP

BARCELLOS, C. et al. Mudanças climáticas e ambientais e as doenças infecciosas: cenários e incertezas para o Brasil. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 18, n. 3, p. 285-304, 2009.

CIIAGRO - CENTRO INTEGRADO DE INFORMA

CONFALONIERI, U.E.C. Variabilidade Climática, Vulnerabilidade Social e Saúde no Brasil. Terra Livre, v. 1, n. 20, p. 193-204, 2003.

CVE - CENTRO DE VIGIL

DIAS, E.; MARTINS, A.V. Spotted fever in Brazil. A summary. Journal of Tropical Medicine and Hygiene, v. 19, p. 103-108, 1931.

FERRAZ, K.P.M.B. et al. Biologia e Manejo da Capivara: do Controle de Danos ao Máximo Rendimento Sustentável. In: Mattos, W.R.S. A produção animal na visão dos brasileiros. Piracicaba: ESALQ, 2001.

FIGUEIREDO LTM, BADRA SJ, PEREIRA LE, SZAB

FORTES ,F.S. et al. Anti-Rickettsia spp. Antibodies in Free-Ranging and Captive Capybaras from Southern Brazil. Pesq. Vet. Bras., v. 31, n. 11, p. 1014-1018, 2011.

GOVERNO DO ESTADO DE S

GUEDES, E. et al. Detection of Rickettsia rickettsii in the tick Amblyomma cajennense in a new Brazilian spotted fever-endemic area in the state of Minas Gerais. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, v. 100, p. 841-845, 2005.

GRECA, H.; LANGONI, H.; SOUSA, L.C. Brazilian Spotted Fever: A reemergent zoonosis. J. Venom. Anim. Toxins incl. Trop. Dis, v. 14, n. 1, p. 3-18, 2008.

HINO, P. et al. Evolução temporal da dengue no município de Ribeirão Preto, São Paulo, 1994 a 2003. Ciênc. Saúde Coletiva, v. 15, n. 1, p. 233-238, 2010.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA: Cidades

IF - INSTITUTO FLORESTAL DO ESTADO DE S

KATZ, G. et al. Situação epidemiológica e importância da febre maculosa no Estado de São Paulo. BEPA, v. 6, p. 4-13, 2009.

LABRUNA, M.B. et al. Seasonal dynamics of ticks (Acari: Ixodidae) on horses in the State of São Paulo, Brazil. Veterinary Parasitology, v. 105, n. 1, p. 65-77, 2002.

LABRUNA, M.B. et al. Comparative Susceptibility of Larval Stages of Amblyomma aureolatum, Amblyomma cajennense, and Rhipicephalus sanguineus to Infection by Rickettsia rickettsii. J. Med. Entomol., v. 45, n. 6, p. 1156-1159, 2008.

LEMOS, E.R.S. et al. Infestation by ticks and detection of antibodies to spotted fever group Rickettsiae in wild animals captured in the State of São Paulo, Brazil. Memórias do Instituto Osvaldo Cruz, v. 91, n. 6, p. 701-702, 1996.

LUNA, E.J.A. The emergence of emerging diseases and emerging and reemerging infectious diseases in Brazil. Revista Brasileira Epidemiologia, v. 5, p. 229-243, 2002.

MINUZZI, R.B. et al. Climatologia do Comportamento do Período Chuvoso da Região Sudeste do Brasil. Revista Brasileira de Metereologia, v. 22, n. 3, p. 338-344, 2007.

MONDINI, A. et al. Análise espacial da transmissão de dengue em cidade de porte médio do interior paulista. Rev. Saúde Publica, v. 39, n. 3, p. 444-51, 2005.

OLIVEIRA, P.R. et al. Popupation Dynamics of the Free-living Stages of Amblyomma cajennense (Fabricius, 1787) (Acari: Ixodidae) on Pastures of Pedro Leopoldo, Minas Gerais State, Brazil. Veterinary Parasitology, v. 92, n. 4, p. 295-301, 2000.

OGRZEWALSKA, M. et al. Epidemiology of Brazilian spotted fever in the Atlantic Forest, state of São Paulo, Brazil. Parasitology (London Print), v. 3, p. 1-18, 2012.

PACHECO, R.C. et al. Pesquisa de Rickettsia spp em carrapatos Amblyomma cajennense e Amblyomma dubitatum no Estado de São Paulo. Revista Sociedade Brasileira Medicina Tropical [online], v. 42, n. 3, p. 351-353, 2009.

PEREIRA, M.C.; LABRUNA, M.B. Febre maculosa: aspectos clínico-epidemiológicos. Clínica Veterinária, v. 12, p. 19-23, 1998.

PEREZ, C.A. et al. Carrapatos do gênero Amblyomma (Acari: Ixodidae) e suas relações com os hospedeiros em área endêmica para febre maculosa no Estado de São Paulo. Rev. Bras. Parasitol. Vet., v. 17, n. 4, p. 210-217, 2008.

PERIAGO, M.R. et al. Saúde Ambiental na América Latina e no Caribe: numa encruzilhada. Saúde e Sociedade, v. 16 n. 3, p. 14-19, 2007.

PETERKA, C.R.L. Avaliação do Efeito da Fragmentação Florestal na Diversidade de Carrapatos e Patógenos Transmitidos por Carrapatos na Região do Pontal do Paranapanema, SP. 2008. 44f. Dissertação (Dissertação de Mestrado em Epidemiologia Experimental e Aplicada às Zoonozes) Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo, São Paulo.

PINTER, A. et al. Febre Maculosa Brasileira. BEPA, Suplemento 8 n. 1, 2011.

RODRIGUES, R. R. A vegetação de Piracicaba e municípios do entorno. Picraciaba: Circular técnica IPEF, 1999.

ROSENTHAL, C. Riquetisioses. In: NETO, A. (ed) Doenças Transmissíveis. São Paulo: Savier, 1989.

SANAVRIA, A.; PRATA, M.C.A. Metodologia para colonização do Amblyomma cajennense (Fabricius, 1787) (Acari: Ixodidae) em laboratório. Rev. Bras. Parasitol. Vet., v. 5, p. 87-90, 1996.

S

SOUZA, S.S.A.L. et al. Dinâmica sazonal de carrapatos (Acari: Ixodidae) na mata ciliar de uma área endêmica para febre maculosa na região de Campinas, São Paulo, Brasil. Ciência Rural, v. 36, n. 3, p. 887-891, 2006.

SOUZA, C.E.; et al. Serological identification of Rickettsia spp from the spotted fever group in capybaras in the region of Campinas - SP

SOUZA, C.E. et al. Experimental infection of capybaras Hydrochoerus hydrochaeris by Rickettsia rickettsii and evaluation of the transmission of the infection to ticks Amblyomma cajennense. Veterinary Parasitology, v. 161, p. 116

TOLEDO, R.S. et al. Dinâmica sazonal de carrapatos do gênero Amblyomma (ACARI: IXODIDAE) em um parque urbano da cidade de Londrina, PR. Rev. Bras. Parasitol. Vet., v. 14, n. 1, p. 50-54, 2008.

Publicado
2013-06-19
Como Citar
RIBEIRO, M. D.; FURTADO, M. A.; FERRAUDO, A. S.; CESARIO, M.; MORRAYE, M. DE A. FATORES AMBIENTAIS ENVOLVIDOS NA EPIDEMIOLOGIA DA FEBRE MACULOSA NO ESTADO DE SÃO PAULO. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 9, n. 16, p. 103 - 114, 19 jun. 2013.
Seção
Artigos