TRIANGULAÇÃO DE MÉTODOS APLICADA AO TRABALHO DOS AGENTES DE SAÚDE NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE - PB

  • Antonio Pereira Cardoso Silva Filho Universidade Federal de Campina Grande
  • Martha Priscila Bezerra Pereira Universidade Federal de Campina Grande
Palavras-chave: Sujeito social, habilidade, transformação do espaço.

Resumo

Os agentes Comunitários de Saúde (ACS) da Estratégia Saúde da Família (ESF) e os Agentes de Combate a Endemias (ACE) da Vigilância Ambiental em Saúde (VAS), apesar de sofrerem influências e determinações de fatores normativos, desenvolvem competências e habilidades que associadas a práticas sociais, são capazes de modificar aspectos espaciais do território em que atuam. Assim, evidencia-se uma perspectiva multidisciplinar que necessita de um olhar científico menos unilateral na estruturação de alternativas inovadoras para se trabalhar determinadas dificuldades. Desta forma, busca-se analisar o desenvolvimento das competências e práticas sociais dos agentes de saúde inseridos na ESF e VAS no município de Campina Grande - PB. Considerando tanto os aspectos teórico-metodológicos, quanto os procedimentos práticos para o reconhecimento do campo empírico, realizou-se um trabalho de campo que constou de três etapas: a) trabalho de campo nas áreas de atuação dos agentes de saúde; b) entrevistas individuais e; c) entrevista com grupo focal. Percebe-se que os agentes de saúde desenvolvem competências em níveis diferenciados, de modo que estas são resultados de interações espaciais, que por sua vez, conduz fatores inibidores e propulsores no seu desenvolvimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Pereira Cardoso Silva Filho, Universidade Federal de Campina Grande
Aluno do curso de Geografia da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) (2008) e aluno especial da pós-graduação em desenvolvimento regional na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) campus Campina Grande

Referências

ALLES, Martha Alícia. Gestión por competência: El diccionario.2 ed. Buenos Aires: Granica, 2006, 304p.

BOULL

BONI & QUARESMA. Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em Ciências Sociais. Revista Eletrônica dos Pós-Graduandos em Sociologia Política da UFSC. Vol. 2 nº 1 (3), janeiro-julho/2005, p. 68-80. Acesso em 06 de Janeiro de 2012. Disponível em: www.emtese.ufsc.br

BEZERRA, Anselmo César Vasconcelos. Subsídios à Gestão Territorial do Programa de Saúde Ambiental: contribuição da geografia à construção de mapas operacionais para territorialização dos Agentes de Saúde Ambiental no Recife-PE. Dissertação (Mestrado em Geografia) Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Pernambuco. 2008. 154f.

CASTRO, Iná Elias de. O problema da escala. In: CASTRO, Iná Elias de; GOMES, Paulo Cesar da Costa; CORR

DUBOIS, Philippe. O ato fotográfico. 3. ed. Campinas

FRANCO, Maria Laura Barbosa. Análise de conteúdo. Brasília, 2º edição: Liber livro editora, 2005. 79 p.

GASKELL, George. Entrevistas individuais e grupais. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Tradução de Pedrinho A. Guarechi. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002, 516p, p. 64

GONDIM, Grácia Maria de Miranda. Espaço e Saúde uma (inter) ação provável nos processos de adoecimento e morte em populações. In: MIRANDA, Ary Carvalho de; BARCELLOS, Cristovam; MOREIRA, Josino Costa; MONKER, Maurício (org). Território, Ambiente e Saúde. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2008. 272p. P.57-75.

HAESBERT, Rogério. O mito da desterritorialização: do

LEF

LEME, Taciana Neto. Os conhecimentos práticos dos professores: (re) abrindo caminhos para a educação ambiental na escola. São Paulo: Annablume. 2006. p.64.

LOBATO, Geórgia Rosa. Conhecimentos e práticas dos profissionais de Saúde da Família diante da violência doméstica contra crianças e adolescentes no Município de Teresópolis

MORIN. Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Tradução do francês: Eliane Lisboa. Porto Alegre: Sulina, 2005. 120 p.

MINAYO, Maria Cecília de Souza; ASSIS, Simone Gonçalves de; SOUZA, Edinilza Ramos de (org). Avaliação por triangulação de métodos: abordagem de programas sociais. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2005, 244p.

NOGUEIRA, Amélia Regina Batista. Mapa mental: recurso didático para o estudo do lugar In: PONTUSCHKA, Nídia Nacib. Geografia em Perspectiva. São Paulo: Contexto, 2002.

PENN, Gemma. Análise semiótica de imagens paradas. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Tradução de Pedrinho A. Guarechi. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002, 516p, p. 319 - 342

PEREIRA, Martha Priscila Bezerra; BARCELLOS, Christovam. O território no Programa Saúde da Família. Hygeia.v. 2, n.2: p. 47-55, 2006.

PEREIRA, Martha Priscila Bezerra. Competências e práticas sociais de promoção e vigilância a saúde na cidade do Recife: O agente de saúde em foco. São Paulo: Scortecci, 2011. 351 p.

SANTOS, Clézio. O uso dos desenhos no ensino fundamental: imagens e conceitos. In: PONTUSCHKA, Nídia Nacib; OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino de. (org). Geografia em perspectiva. São Paulo: Contexto, 2002. 380p. p. 195-207.

SILVA FILHO, Antonio Pereira Cardoso da. O agente de saúde como transformador da paisagem urbana: O caso de Campina Grande

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. 6. Ed.

VÍCTORA, Ceres Gomes; KNAUTH, Daniela Riva; HASSEN, Maria de Nazareth Agra. Pesquisa qualitativa em saúde: uma introdução ao tema. Porto Alegre: Tomo Editorial, 2000, 136p.

Publicado
2013-06-19
Como Citar
SILVA FILHO, A. P. C.; PEREIRA, M. P. B. TRIANGULAÇÃO DE MÉTODOS APLICADA AO TRABALHO DOS AGENTES DE SAÚDE NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE - PB. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 9, n. 16, p. 159 - 168, 19 jun. 2013.
Seção
Artigos