IMC X IMC ÓSSEO: PESO ÓSSEO É RELEVANTE?

Laryssa Thainá Mello Queiroz Cunha, Roberto Bernardino Júnior, Hanna Nery Ferraz Martins, Vanessa Alves da Rocha Dias

Resumo


O Índice de Massa Corporal (IMC) oferece um valor que considera em seu cálculo o peso corporal e a altura do indivíduo para determinar se este está no peso ideal. O Índice de Massa Corporal Ósseo (IMCO) propõe o fracionamento da composição corporal e considera no cálculo a subtração do peso ósseo. Este trabalho apresenta como objetivo comparar o IMC com o IMCO e diante de tal comparação, busca-se o aperfeiçoamento das interpretações dos valores encontrados no cálculo do IMC. Durante a execução do trabalho foi realizada a mensuração do peso corporal e da altura de 40 voluntários, sendo 20 do sexo masculino e 20 do feminino. Aferiu-se também a distância entre os processos estilóides do rádio e da ulna, e a distância entre a face mais lateral e mais medial, respectivamente do côndilo lateral e medial do fêmur, medidas estas importantes para calcular o peso ósseo dos voluntários. Calculou-se então o IMC e o IMCO.  O IMCO aprimorou alguns resultados do IMC, pois ao subtrair o peso ósseo muitos voluntários alteraram a classificação do IMC. Portanto, apesar da facilidade da mensuração e a disponibilidade de dados de massa corporal e estatura para cálculo do IMC, a proposta do IMCO merece atenção pela exclusão que faz de um peso pouco variável em curto espaço de tempo, que pouco se altera quando se perde peso e que sofre acréscimo de tecido na estrutura do órgão ósseo quando se ganha peso, ou seja, o peso ósseo.

Palavras-chave


Peso corporal, fracionamento, índice

Texto completo:

PDF