MEMÓRIA E REPRESENTAÇÃO VISUAL: A AUTONOMIA DO DESENHO ENQUANTO PROCESSO E RESULTADO

Jamerson Sérgio Passos Rezende

Resumo


O artigo apresentado consiste em uma pesquisa poética e processual sobre questões do acabamento e inacabamento de uma obra de arte a partir da produção de três séries de desenhos, sendo elas de observação, memória e criação, respectivamente. Tais instâncias da representação gráfica convergem para uma breve análise comparativa, questionando os possíveis indicativos do Desenho enquanto representação e registro de um “motivo” e os indicativos que conferem ao Desenho o status de autônomo. Espera-se que a aproximação ou distanciamento destes trabalhos com relação ao referente, mensure a autonomia do trabalho em nível de estilização ou abstração das suas formas. Esta pesquisa é mediada conceitualmente por Pareyson (1984), em questões que tocam a formatividade de uma obra, em diálogo com Salles (2009).


Palavras-chave


Desenho; processo de criação; representação; formatividade.

Texto completo:

PDF