O APAGAMENTO DA MEMÓRIA EM EUCANAÃ FERRAZ

  • jorcilene alves nascimento universidade federal de uberlândia
Palavras-chave: Eucanaã Ferraz, contemporaneidade, memória do lido, memória do vivido, poesia.

Resumo

O presente trabalho de iniciação cientifica da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) com bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG) se propõe a mostrar os resultados da pesquisa iniciada em março do de 2012 e finalizada em fevereiro de 2012. A proposta foi expor como a memória aparece na obra do poeta Eucanaã Ferraz analisando os seus metapoemas em que ela se faz presente. O objetivo principal foi verificar o processo de apagamento da memória e quais as consequências desta ação na poesia contemporânea. Para atingir este objetivo formularmos as seguintes questões que nos guiaram no processo de investigação: quais as memórias estão presentes nos poemas, como o poeta lida com a memória, como Eucanaã Ferraz se relaciona com o tempo e a memória e qual o resultado do apagamento da memória para a poesia. Então, levantamos a seguinte proposição, ao perder a memória, a consciência de si mesmo, o poeta tem que abrir mão de todas as experiências que o compõe, acabando com a materialidade de sua expressão poética, a poesia não resiste. A metodologia consistiu na revisão bibliográfica sobre o poeta, na escolha do corpus, análise dos poemas e conclusão. Ao final da pesquisa, concluímos que na poesia de Ferraz a memória do vivido pode ser recusada e, ainda, teremos a escrita com a memória do lido, no entanto, ao apagar as memórias do vivido percebemos ser impossível continuar com ela.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-12-16
Seção
Lingüística e Letras