A PRESENÇA E A IMAGEM DOS IND͍GENAS NA HISTÓRIA E HISTORIOGRAFIA DO TRIÂNGULO MINEIRO.

  • YURI LEITE SANTOS Universidade Federal de Uberlândia.
  • MARCEL MANO Instituto de CIências Sociais da Universidade Federal de Uberlândia.
Palavras-chave: História indígena, antropologia, etnohistória.

Resumo

O presente artigo apresenta os resultados obtidos com desenvolvimento de projeto de pesquisa cujo objetivo é analisar a imagem do indígena na História e na historiografia regional. Para isso, se apoiou no diálogo entre Antropologia e História e teve como material básico de pesquisa tanto uma documentação histórica referentes à região do atual sul de Goiás, Triângulo Mineiro e norte de São Paulo, como uma bibliografia diversa sobre a história dessa região. Com base neles, e sob a perspectiva do paradigma indiciário e da alteridade, constatamos duas visões históricas acerca dos Kayapó meridionais, um dos grupos indígenas mais conhecidos nessa região durante os séculos XVIII e XIX. A primeira delas associada ao bárbaro sanguinário; a segunda a vitima indefesa. Em oposição a elas, recentemente tem-se desenhado a construção do argumento de que as estratégias de contato dos Kayapó meridionais foram ações de sujeitos históricos conscientes, orientada por sua própria lógica cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

YURI LEITE SANTOS, Universidade Federal de Uberlândia.
Graduando em História na Universidade Federal de Uberlândia.
MARCEL MANO, Instituto de CIências Sociais da Universidade Federal de Uberlândia.
Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1990), mestrado em Antropologia pela Universidade de São Paulo (1996) e doutorado em Ciências Sociais - Antropologia- pela Universidade Estadual de Campinas (2006).
Publicado
2015-12-16
Seção
História