PERFIL COMPARATIVO DA AUTOMEDICAÇÃO ENTRE ESTUDANTES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

  • Felipe Andrés Cordero Luz
  • Gessynger Morais-Silva
  • Hellen Dayane Silva Borges
  • Juliana Fernandes-Santos
  • Ludmilla David Moura
  • Tatyane Oliveira Cândido
  • Janaina Lobato Universidade Federal de Uberlândia
Palavras-chave: Automedicação, prevalência, questionário, ciências biomédicas e estudantes

Resumo

A automedicação é um hábito frequente no Brasil. Vários estudos mostram a alta prevalência de automedicação por parte da comunidade acadêmica, principalmente por estudantes e trabalhadores da área da saúde. O objetivo deste estudo foi delinear o perfil da automedicação em indivíduos dos cursos de Biologia, Biomedicina e Engenharia Elétrica por meio do uso de questionários, para avaliar a relação entre o conhecimento específico farmacologia e a automedicação. A comparação entre as respostas obtidas revelou maior prevalência da automedicação entre os estudantes dos cursos de Biomedicina e Biologia, tanto avaliada em 12 meses ou em um mês. Os estudantes de Biomedicina e Biologia realizaram o ato de automedicar-se mais frequentemente que os estudantes do curso de Engenharia Elétrica. Apesar de todos os cursos apresentarem valores semelhantes de consciência dos riscos, os estudantes de Engenharia Elétrica consumiram medicamentos de venda controlada e danosos a saúde. Quanto maior o conhecimento sobre a farmacologia, maior seu uso, porém, aqueles medicamentos que oferecem riscos considerados graves à saúde coletiva são evitados. O estudo conclui que a prevalência de automedicação entre os estudantes da Universidade Federal de Uberlândia é alta, principalmente entre os alunos dos cursos na área da saúde e com conhecimento em farmacologia. E que os principais medicamentos utilizados por eles são os analgésicos/ antipiréticos, antigripais, antiácidos e antibióticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-07-27
Seção
Medicina e Enfermagem