Políticas públicas e comunidades da Amazônia: o caso de Marabá (1970-2000)

  • José Jonas Almeida

Resumo

Em função das perspectivas trazidas pela descoberta de minério de ferro na Serra dos Carajás, no Sul do Pará, o Governo Federal promoveu a partir de 1970, uma série de intervenções na cidade de Marabá. Uma vez verificada a localização inadequada do sítio urbano, vulnerável às enchentes periódicas dos rios Tocantins e Itacaiúnas, foi planejada a transferência da cidade para outro local, onde hoje se encontra a Nova Marabá. A população da cidade antiga não viu com simpatia a ideia, tendo já estabelecido um convívio com as enchentes que praticamente todos os anos afetam a cidade. A persistência da Marabá pioneira e de seus moradores que ainda estabelecem um modo de vida típico das populações ribeirinhas da Amazônia revela também o fracasso da política de planejamento governamental feita de fora da realidade local.

PALAVRAS-CHAVE: Marabá. Enchentes. Planejamento.

ABSTRACT: With newfound prospects brought on by the discovery of iron ore in the Serra dos Carajás (Carajás Range), in the South of the State of Pará, the Brazilian Federal Government undertook a series of interventions in the city of Marabá, starting in 1970. Once the location of the city was deemed inadequate, as it was vulnerable to flooding from the Tocantins and Itacaiúnas Rivers, plans were made to move it to another site, now known as Nova Marabá. The population of the old city did not aprove this idea, since they had already learned to live with the floods that affected them almost every year. The persistence of the pioneer Marabá and its inhabitants, who still lead the life of typical river dwelling populations throughout the Amazon region, also reveals the failure of a governmental planning policy out of touch with local reality.

KEYWORDS: Marabá. Floods. Planning.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2011-07-15
Como Citar
ALMEIDA, J. J. Políticas públicas e comunidades da Amazônia: o caso de Marabá (1970-2000). Revista História & Perspectivas, v. 24, n. 44, 15 jul. 2011.
Seção
Dossiê Anos 80: temas, problemas e abordagens historiográf