Traços de iteratividade e suas realizações em línguas próximas

Palavras-chave: Iteratividade, Realização morfológica, Línguas tipologicamente próximas

Resumo

Neste artigo, discutimos a noção aspectual da iteratividade. Mais especificamente, confrontamos diferentes estudos sobre a iteratividade e discutimos os achados de tais pesquisas. Desse modo, buscamos focalizar, sobretudo, a possibilidade de se entender a iteratividade como uma noção aspectual que se constrói com base em traços próximos de outros aspectos. Nessa direção, examinamos a realização morfológica de tal aspecto em duas línguas tipologicamente próximas: o português do Brasil e o espanhol, destacando o conjunto de fatores linguísticos e a composicionalidade que favorecem tais realizações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Mercedes Riveiro Quintans Sebold, UFRJ

Possui graduação em Letras Português Espanhol pela Universidade Federal Fluminense (1988), mestrado em Letras Neolatinas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1994) e doutorado em Línguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2005). Atualmente é Diretora Adjunta de Pós Graduação da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Línguas Estrangeiras Modernas, atuando principalmente nos seguintes temas: espanhol língua estrangeira, aquisição de língua estrangeira, sintaxe do espanhol, formação de professores, ensino- aprendizagem de língua estrangeira e línguas próximas.

Anne Katheryne Estebe Maggessy, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Professora de Português e Espanhol no IFRJ. Doutora e Mestre em Língua Espanhola pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Espanhola, atuando principalmente nos seguintes temas: teoria gerativa, aspecto e perífrases verbais. 

Referências

CASTILHO, A. T. Introdução ao estudo do aspecto verbal na língua portuguêsa. Marília: FFCL, 1968.

CASTILHO, A. T. Variação dialetal e ensino institucionalizado da língua portuguesa. In: BAGNO, M. (org.). Linguística da norma. São Paulo: Loyola, 2002.

COMRIE, B. Aspect: An introduction to the study of Verbal Aspect and Related Problems. Cambridge: Cambridge University Press, 1976.

GIAMMATTEO, M.; MARCOVECCHIO, A. M. Ámbitos de modificación de las perífrasis verbales del español. In: Actas de las primeras jornadas internacionales sobre normativa del idioma Español: “Reflexiones en torno a la norma lingüística”. Buenos Aires: Fundación Litterae y Universidad de Belgrano, 2007.

GILI GAYA, S. Curso superior de sintaxis española. Barcelona: VOX. 15º ed. 1948. Reimpressão: outubro de 2000.

GÓRBOVA, E. V. Acerca del problema del potencial semántico del progresivo en español. Universidad Estatal de San Petersburgo, 2007.

ILARI, R. Notas sobre o passado composto em português. In: Revista Letras. Curitiba, n. 55, p. 129-152, jan. /jun. 2001. DOI https://doi.org/10.5380/rel.v55i0.2822

LONGO, B. O.; CAMPOS, O. S. A auxiliaridade: perífrases de tempo e aspecto no português falado. In: Gramática do português falado: Volume VIII - Novos estudos descritivos. Campinas: Editora da Unicamp, 2002.

MAGGESSY, A. K. E.; SEBOLD, M. M. R. Q. Contextos de ocorrência das perífrases de gerúndio e particípio no português do Brasil e na variedade do espanhol do México e sua significação aspectual. In: LETRAS&LETRAS, v. 30, n. 2, jul/dez. 2014, p. 261-290. DOI https://doi.org/10.14393/LL60-v30n2a2014-13

MENDES, R. B. Ter + particípio ou estar + gerúndio? Aspecto verbal e variação em PB. In: Estudos Lingüísticos XXXIII, p. 1280-1285, 2004.

PRESEEA. Corpus del Proyecto para el estudio sociolingüístico del español de España y de América. México, 2014. Disponível em http://preseea.linguas.net. Acesso em: 4 set. 2019.

SANTOS, S. R. C. Perífrases Durativas do Português Brasileiro. 2008. Dissertação (Estudos linguísticos) Curso de Pós-Graduação em Letras, Área de Concentração em Estudos Linguísticos, Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2008.

TRAVAGLIA, L. C. O aspecto verbal no português: a categoria e sua expressão. 4.ed. Uberlândia: EDUFU, 2006. DOI https://doi.org/10.14393/EDUFU-85-7078-107-5

VARGAS, X. G. Las perífrasis verbales resultativas en español de Chile. Formas compuestas y perífrasis verbales en el español de Chile. Exploraciones sobre el desarrollo y el uso del aspecto perfecto. Tesis (licenciado) Lengua y Literatura Hispánica con mención en Lingüística, Universidad de Chile. Santiago, 2009.

VENDLER, Z. Linguistics in philosophy. Ithaca: Cornell University Press, 1967.

WACHOWICKZ, T. C. As leituras aspectuais da forma do progressivo do português brasileiro. 2003. Tese (Doutorado em Linguística) – Pós Graduação em Linguística, Universidade de São Paulo, 2003.

WACHOWICKZ, T. C. Marcas linguísticas de iteratividade em PB. In: Anais do 6° Encontro Celsul-Círculo de Estudos Linguísticos do Sul, 2006.

YLLERA, A. Las perífrasis verbales de gerundio y participio. In: BOSQUE, I.; DEMONTE, V. (ed.) Gramática descriptiva de la lengua española. Madrid: Espasa, vol. 2, p. 3391-3441, 1999.

Publicado
2020-03-23
Como Citar
RIVEIRO QUINTANS SEBOLD, M. M.; ESTEBE MAGGESSY, A. K. Traços de iteratividade e suas realizações em línguas próximas. Domínios de Lingu@gem, v. 14, n. 2, p. 510-541, 23 mar. 2020.