Interferências linguísticas em produções textuais de venezuelanos aprendizes de português como língua estrangeira

  • Fabricio Paiva Mota Universidade Federal de Roraima
Palavras-chave: Interferência linguística, PLE, Fronteira

Resumo

No contexto brasileiro, o contato entre falantes de línguas diferentes é um fenômeno acentuado, principalmente nas zonas fronteiriças com os países da América do Sul. No cenário roraimense existem duas fronteiras: ao norte com a Venezuela e ao leste com a Guiana. Este trabalho tem por objetivo analisar interferências linguísticas em produções textuais de venezuelanos aprendizes de Português como Língua Estrangeira. Para alcançar os objetivos propostos, foram analisadas um total de dez produções textuais. Os resultados apontam para uma interferência linguística do tipo ortográfica, em que o aluno omitiu acento em palavras portuguesas e confundiu grafemas. Tendo em vista um cenário multilíngue, como o apresentado entre Brasil/Venezuela, em que as fronteiras geográficas nem sempre correspondem com as linguísticas, conclui-se que existe uma demanda para o ensino de Língua Portuguesa para hispano-falantes na região norte do Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AIKHENVALD, A. Y. Language Contact in Amazonia. New York: Oxford University Press, 2002, p. 1–32.

HAUGEN, E. The Language Conflicts and Language Planning: The case of Modern Norwegian. Cambridge: Harvard University Press, 1966. DOI https://doi.org/10.4159/harvard.9780674498709

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Faixa de fronteira. Disponível em: www.ibge.gov.br/home/geociencias/geografia/fronteira.shtm. Último acesso: 10 fev. 14

MENÉNDEZ, F. G.; MENÉNDEZ, M. V. G. El desplazamiento lingüístico del español por el inglés. Madrid: Cátedra, 2003.

MOTA, F. P. Contato linguístico na fronteira Brasil/Venezuela: produções textuais de hispano aprendizes de PLE. 2014. 105 f. Dissertação (Mestrado em Língua e Cultura Regional) - Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal de Roraima, Boa Vista, 2014.

OLIVEIRA, R. G. O Rio Branco no contexto da Amazônia caribenha: aspectos da colonização europeia entre os séculos XVI e XVII. In: Relações internacionais na fronteira Norte do Brasil. Coletânea de Estudos. Boa Vista-RR: EdUFRR, 2008.

SALA, M. Lenguas en contacto. 2. ed. Madrid: Editorial Gredos, 1998.

SIGUAN, M. S. Bilinguismo y lenguas en contacto. Madrid: Alianza Editorial, 2001.

SILVA-VALDIVIA, B. Cambios de código, alternancias e interferencias linguísticas: unha perspectiva didáctica sociocomunicativa. In: SILVA-VALDIVIA, B. (coord.). Didáctica da língua en situacións de contacto linguístico. Santiago de Compostela: Servicio de Publicacións e Intercambio Científico, 1994.

THOMASON, S. G.; KAUFMAN, T. Language contact, creolization, and genetic linguistics. USA: University of California Press, 1988.

WEINREICH, U. Languages in contact: finding and problems. The Hague: Mouton, 1953.

WEINREICH, U. Lenguas en contacto: descubrimientos y problemas. Caracas: Ediciones de la Biblioteca de la Universidad Central de Venezuela, 1974.

Publicado
2020-03-17
Como Citar
PAIVA MOTA, F. Interferências linguísticas em produções textuais de venezuelanos aprendizes de português como língua estrangeira. Domínios de Lingu@gem, v. 14, n. 2, p. 675-701, 17 mar. 2020.