As Subcompetências Estratégica e Instrumental na Formação em Tradução

resultados da primeira fase de um estudo longitudinal

  • Tania Liparini Universidade Federal da Paraíba
  • Camila Braga Universidade Federal da Paraíba.
Palavras-chave: Abordagem Cognitiva, Competência Tradutória, Formação em Tradução, Tomada de Decisão, Fontes de Documentação

Resumo

Neste artigo, são apresentados os resultados parciais de um estudo sobre Aquisição da Competência Tradutória desenvolvido no âmbito do projeto Competência Tradutória e Formação de Tradutores: o desenvolvimento das subcompetências específicas do tradutor - CNPq 485158/2013-2. O principal objetivo do estudo foi investigar o desenvolvimento das subcompetências estratégica e instrumental em tradutoras e tradutores em formação, a partir da identificação das principais estratégias de resolução de problemas de tradução adotadas pelos sujeitos sob escrutínio. Trata-se de um estudo longitudinal que se baseia no modelo holístico assim como no conceito de Competência Tradutória (CT) de PACTE (2003), de acordo com o qual a CT é considerada “um conjunto de habilidades e conhecimentos subjacentes necessários para realizar uma tarefa de tradução”. De acordo com o modelo de CT de PACTE, a competência tradutória consiste de cinco subcompetências: bilíngue, extralinguística, conhecimentos sobre tradução, instrumental e estratégica. A subcompetência instrumental está relacionada ao uso de fontes de documentação, enquanto a subcompetência estratégica está relacionada ao gerenciamento do processo de tradução e desenvolvimento de estratégias de resolução de problemas de tradução. Os dados foram coletados com o programa Translog (movimentos de teclado e duração de pausa) e Camtasia (gravação de tela). Com base nas metodologias de Jakosen (2002) e PACTE (2005), o tipo de pausa (orientação e revisão) e apoio (interno e externo; simples e dominante) utilizados pelos sujeitos de pesquisa durante o processo de tomada de decisão foram identificados e classificados, assim como as principais fontes de documentação. Os resultados da primeira fase da pesquisa indicam que as subcompetências instrumental e estratégica dos sujeitos ainda estão pouco desenvolvidas e, embora eles já estejam familiarizados com diferentes fontes de documentação, ainda não sabem como utilizá-las de forma apropriada para chegar a soluções de tradução adequadas. Esses resultados revelam a importância de refletir e discutir sobre questões relacionadas a fontes de documentação e gerenciamento do processo de tradução no contexto de formação em tradução.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tania Liparini, Universidade Federal da Paraíba
Professora do Departamento de Mediações Interculturais da Universidade Federal da Paraíba. Doutora em Linguística Aplicada pela UFMG. Atuação na área de Estudos da Tradução e Formação de Tradutores.
Camila Braga, Universidade Federal da Paraíba.
Professora do Departamento de Mediações Interculturais da Universidade Federal da Paraíba. Doutora em Linguística Aplicada pela UFMG. Atuação na área de Estudos da Tradução e Tradução Audiovisual.

Referências

ALVES, F. Ritmo cognitivo, Meta-reflexão e Experiência: parâmetros de análise processual no desempenho de tradutores novatos e experientes. In: PAGANO, A.; MAGALHÃES, C.; ALVES, F. (org.). Competência em Tradução: cognição e discurso. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2005. p. 109-153. DOI https://doi.org/10.1590/s0102-44502003000300006.

BEEBY, A.; CASTILLO, L.; FOX, O.; GALÁN MAÑAS, A.; HURTADO ALBIR, A.; KUZNIK, A.; MASSANA, G.; NEUNZIG, W.; OLLALA, Ch.; RODRIGUEZ INÉS, P.; ROMERO, L. Results of PACTE’s experimental research on the acquisition of translation competence: The acquisition of declarative and procedural knowledge in translation. The dynamic translation index. Translation Spaces, Amsterdam; Philadelphia, v. 4, n. 1, p. 29-53, 2015. DOI https://doi.org/10.1075/ts.4.1.02bee.

DRAGSTED, B. Segmentation in translation and translation memory systems. Copenhagen: Copenhagen Business School, 2004. (Tese de Doutorado, inédita).

DRAGSTED, B. Segmentation in translation: differences across levels of expertise and difficulty. Target, v. 17, n. 1, p. 49-70, 2005. DOI https://doi.org/10.1075/target.17.1.04dra.

FLESCH, R. The art of readable writing. New York, NY: Harper, 1974.

GONÇALVES, J. L. V.; LIPARINI CAMPOS, T.; ALVES, D. Formação de Tradutores e Tradutoras: reflexões a partir de projetos de pesquisa e extensão realizados em duas universidades brasileiras. In: ALVES, D.; BRANCO, S. (org.) Discussões Contemporâneas sobre os Estudos da Tradução: reflexões e desenvolvimentos a partir do IV Encontro Nacional Cultura e Tradução. Editora Pontes, 2019. DOI https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.tradterm.1997.49851.

JAKOBSEN, A. L. Translation drafting by professional translators and by translation students. In: HANSEN, G. (ed.). Empirical translation studies: process and product. Copenhagen: Samfundslitteratur, 2002. p. 191-204.

KUSNIK, A. Use of Instrumental Resources. In: HURTADO ALBIR, A. (ed.). Researching Translation Competence by PACTE Group. Benjamins Translation Library. Amsterdam: John Benjamins, 2017. p. 219-241. DOI https://doi.org/10.1075/btl.127.

LIPARINI CAMPOS, T.; BRAGA, C. N. O.; LEIPNITZ, L. Subcompetência sobre conhecimentos em tradução: resultados da primeira fase de um estudo longitudinal. Revista Graphos, João Pessoa, v. 17, n. 1. p. 131-145, 2015. DOI https://doi.org/10.1590/0102-445033559977057488.

LIPARINI CAMPOS, T.; LEIPNITZ, L. Competência Tradutória: o desenvolvimento da subcompetência sobre conhecimentos em tradução. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 11, n. 5, p. 1727-1745, 2017. DOI https://doi.org/10.14393/dl32-v11n5a2017-18.

LIPARINI CAMPOS, T.; LEIPNITZ, L.; BRAGA, C. N. O. Avaliação da Qualidade da Tradução: resultados da primeira fase de um estudo longitudinal sobre a aquisição da competência tradutória. D.E.L.T.A., v. 33, n. 4, p. 1323-1352, 2017. DOI https://doi.org/10.1590/0102-445033559977057488.

PACTE. Building a translation competence model. In: ALVES, Fabio (ed.). Triangulating Translation: Perspectives in process oriented research. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins. p. 43-66, 2003. DOI https://doi.org/10.1075/btl.45.06pac.

PACTE. Investigating Translation Competence: Conceptual and Methodological Issues. Meta, Montréal, vol. 50, no 2, p. 609-619, 2005. DOI https://doi.org/10.7202/011004ar.

PACTE. First Results of a Translation Competence Experiment: ‘Knowledge of Translation’ and ‘Efficacy of the Translation Process’. In: KEARNS, J. (ed.). Translator and Interpreter Training: Issues, Methods and Debates. London: Continuum International Publishing Group. p. 104-126, 2008. DOI https://doi.org/10.1556/acr.10.2009.1.11.

PACTE. Decision-making. In: HURTADO ALBIR, A. (ed.). Researching Translation Competence by PACTE Group. Benjamins Translation Library. Amsterdam: John Benjamins, 2017. p. 191-210. DOI https://doi.org/10.1075/btl.127.

Publicado
2019-07-08
Como Citar
LIPARINI, T.; BRAGA, C. As Subcompetências Estratégica e Instrumental na Formação em Tradução. Domínios de Lingu@gem, v. 13, n. 2, p. 577-603, 8 jul. 2019.