A função sintática e o licenciamento de artigos definidos diante de antropônimos e de possessivos pré-nominais

um estudo com dados de fala em Carnaíba – Pernambuco

  • Adeilson Pinheiro Sedrins Universidade Federal de Pernambuco
  • Déreck Kássio Pereira Universidade Federal de Pernambuco
  • Cláudia Roberta Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco
Palavras-chave: Artigo definido, Pronome possessivo, Antropônimo, Sintaxe, Sociolinguística Variacionista

Resumo

Neste artigo discutimos os resultados da análise de dados de fala provenientes do município de Carnaíba, localizado na região do sertão de Pernambuco, focalizando a variação entre a realização ou não do artigo definido diante dos contextos: pronome possessivo em posição pré-nominal e antropônimos. Os pressupostos teórico-metodológicos que nortearam a análise advêm do quadro da sociolinguística variacionista e a discussão está centrada nos resultados em que foi controlada a variável função sintática do sintagma nominal, tendo em vista que essa variável permitiu observar uma diferença na frequência de licenciamento de arti-gos nos dois diferentes contextos aqui analisados. Os dados coletados apontam ainda para uma tendência à não realização do artigo, nos contextos anali-sados, o que se diferencia do uso encontrado em outras comunidades, mais especificamente, aquelas localizadas mais ao Sudeste e ao Sul do país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, A. P. M. Um estudo sociolinguístico da variação sintática ausência/presença de artigo definido diante de antropônimos na fala dos jovens moradores de Barra Longa/MG que residem em Belo Horizonte. 2008. 155 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008. DOI https://doi.org/10.14393/19834071.2016.36163.

AMARAL, E. T. R. Contribuições para uma tipologia de antropônimos do português brasileiro. Alfa Revista de Linguística, São Paulo, v. 55, n. 2, p. 63-82, 2011.

CALLOU, D.; SILVA, G. M. O. O uso do artigo definido em contextos específicos. In: HORA, D. da. (org.) Diversidade linguística no Brasil. João Pessoa: Idéia, 1997.

CASTILHO, A. Nova gramática do português brasileiro. São Paulo: Contexto, 2010. DOI https://doi.org/10.35520/diadorim.2011.v8n1a7977.

CASTRO, A. On Possessives in Portuguese. 2006. Ph.D. Dissertação (Mestrado em Linguística) – FCSH, Universidade Nova de Lisboa e Universite Paris 8 – CLI. 2006.

FLORIPI, S. A. Estudo da variação do determinante em sintagmas nominais possessivos na história do português. 2008. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, 2008. DOI https://doi.org/10.11606/d.8.2014.tde-02102014-175657.

LONGOBARDI, G. Reference and proper names: a theory of N-movement in syntax and logical form. Linguistic Inquiry, v. 25, n. 4. Massachusetts: The MIT Press, 1994.

MAGALHÃES, T. M. V. O uso de artigo definido diante de pronome possessivo em textos portugueses do século XVI a XIX. In: SEDRINS, A. P. et al. (org.). Por amor a linguística: miscelânea de estudos linguísticos dedicados à Maria Denilda Moura. Maceió: EDUFAL, 2011. DOI https://doi.org/10.28998/rl.v1i47.901.

MENDES, S. T. do P. A ausência ou a presença do artigo definido diante de nomes próprios no português mineiro da comunidade de Barra Longa: um caso de retenção? 2009. Dissertação (Mestrado em Estudos linguísticos) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009. DOI https://doi.org/10.24873/j.rpemd.2017.07.018.

MOISÉS, J. de A. O “lugar” do artigo no discurso: considerações sobre o uso do artigo no português culto falado em Belo Horizonte. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1995. DOI https://doi.org/10.14393/19834071.2016.36163.

PEREIRA, D. K. F. Arealização de artigo definido no português falado na região do sertão do Pajeú-PE. 2017. 206f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Centro de Artes e Comunicação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife. DOI https://doi.org/10.14393/19834071.2013.23750.

SILVA, G. M. de O. e. Estudo da regularidade na variação dos possessivos no português do Rio de Janeiro. Tese (Doutorado em Linguística), Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1982. DOI https://doi.org/10.5753/ersirj.2018.4649.

SILVA, G. M. de O. e. Realização facultativa do artigo definido diante de possessivo e de patronímico. In: SILVA, G. M. de O. e; SCHERRE, M. M. P. (org.). Padrões sociolinguísticos: análise de fenômenos variáveis do português falado na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1998. DOI https://doi.org/10.17771/pucrio.acad.29813.

Publicado
2019-10-08
Como Citar
SEDRINS, A. P.; PEREIRA, D. K.; SILVA, C. R. A função sintática e o licenciamento de artigos definidos diante de antropônimos e de possessivos pré-nominais. Domínios de Lingu@gem, v. 13, n. 3, p. 1266-1295, 8 out. 2019.