Concepção de linguagem, de texto e de gêneros discursivos na formação inicial do professor de Língua Portuguesa

um estudo de cursos de licenciatura em Letras

  • Terezinha da Conceição Costa-Hübes Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)
  • Tatiana Fasolo Bilhar Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)
Palavras-chave: Formação inicial, Concepção interacionista e dialógica de linguagem, Texto-enunciado, Gêneros discursivos

Resumo

Em 2008, no Paraná, publicaram-se as Diretrizes Curriculares da Educação Básica (DCE). Esse documento, ainda vigente, orienta um ensino de Língua Portuguesa (LP) norteado pelas ideias linguísticas do Círculo de Bakhtin: centrado na concepção dialógica de linguagem e no trabalho com os gêneros discursivos. No entanto, para efetivarem a proposta, os professores devem rece-ber, desde a graduação, uma formação coerente com tais propósitos. Assim, esta pesquisa analisa dois cursos de Letras de uma universidade pública do Paraná buscando responder: que diálogo existe entre os Projetos Político-Pedagógicos dos cursos e os planos de ensino de suas disciplinas voltadas à formação do professor de LP com o que preconizam as DCE? Os resultados indicam que o diálogo com as DCE é distinto nos dois cursos. O primeiro se pauta pela concepção de linguagem das DCE e algumas disciplinas não só discutem sua proposta de ensino como propõem o estudo dos gêneros nos moldes bakhtinianos. O segundo, embora se paute pela mesma concepção de linguagem, adota um eixo organizador para as disciplinas contrário aos pressupostos bakhtinianos para o estudo da língua. Assim, o diálogo se dá mais no sentido de discutir a proposta das DCE do que de nortear as disciplinas por suas concepções.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Terezinha da Conceição Costa-Hübes, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)
Professora Doutora do Programa de Pós-Graduação em Letras, área de concentração Linguagem e Sociedade, da Universidade Estadual do oeste do Paraná (UNIOESTE).
Tatiana Fasolo Bilhar, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

Mestre em Letras pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), bolsista Capes.

Referências

BAKHTIN, M.; VOLOCHINOV, V. (1929). Marxismo e filosofia da linguagem. Tradução de Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. 16. ed. São Paulo: Hucitec, 2014. DOI https://doi.org/10.1590/s0101-31731981000100002.

BAKHTIN, M. (1979). Estética da criação verbal. Tradução de Paulo Bezerra. 6. ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011.

BOHN, H. I. Ensino e aprendizagem de línguas: os atores da sala de aula e a necessidade de rupturas. In: MOITA LOPES, L. P. da (org.). Linguística Aplicada na Modernidade Recente: Festschrift para Antonieta Celani. São Paulo: Parábola Editorial, 2013. p. 79-98. DOI: https://doi.org/10.11606/d.8.2015.tde-19102015-134911.

BORTONI-RICARDO, S. M. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

BRAIT, B. Perspectiva Dialógica. In: BRAIT, B.; SOUZA-E-SILVA, M. C. (org.). Texto ou discurso? São Paulo: Contexto, 2012. p. 9-29. DOI: https://doi.org/10.1590/2176-457324390.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa. Brasília: Secretaria de Educação Fundamental, 1998.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução CNE/CP nº 2/2015, de 1 de julho de 2015 – Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. DOI https://doi.org/10.21573/vol32n012016.65681. Disponível em: http://pronacampo.mec.gov.br/images/pdf/res_cne_cp_02_03072015.pdf. Acesso em: 10 jul. 2017.

BRONCKART, J. P. Atividades de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sócio-discursivo. Tradução: Anna Rachel Machado e Péricles Cunha. São Paulo: EDUC, 2003. DOI: https://doi.org/10.18309/anp.v1i8.359.

COSTA-HÜBES, T. da C. Por uma concepção sociointeracionista da linguagem: orientações para o ensino da língua portuguesa. Línguas & Letras. Ed Especial XIX CELLIP, p. 73-97, 1º semestre/2011.

FARACO, C. A. As Ideias Linguísticas do Círculo de Bakhtin. São Paulo: Parábola Editorial, 2009. DOI: https://doi.org/10.26512/les.v12i1.10544.

FIORIN, J. L. Introdução ao pensamento de Bakhtin. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2016.

GERALDI, J. W. Portos de Passagem. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

PARANÁ. Secretária de Estado da Educação. Diretrizes Curriculares da Educação Básica do Paraná: Língua Portuguesa. Curitiba: SEED, 2008. DOI: https://doi.org/10.4025/imagenseduc.v7i1.34006.

RODRIGUES, R. H. A Constituição e Funcionamento do Gênero Jornalístico Artigo: Cronotopo e Dialogismo. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem – LAEL – PUCSP). São Paulo: PUCSP, 2001.

VOLOCHINOV, V. N. (1930). A Construção da Enunciação e Outros Ensaios. Tradução de João Wanderley Geraldi. São Carlos: Pedro & João Editores, 2013.

Publicado
2019-10-08
Como Citar
COSTA-HÜBES, T. DA C.; BILHAR, T. F. Concepção de linguagem, de texto e de gêneros discursivos na formação inicial do professor de Língua Portuguesa. Domínios de Lingu@gem, v. 13, n. 3, p. 1082-1114, 8 out. 2019.