O processo de textualização em textos multissemióticos

análise do gênero esquete

  • Helena Maria Ferreira Universidade Federal de Lavras (UFLA)
  • Patricia Vasconcelos Almeida Universidade Federal de Lavras (UFLA)
  • Jaciluz Dias Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
Palavras-chave: Esquete, Textos multissemióticos, Interacionismo Sociodiscursivo

Resumo

O presente artigo busca analisar o processo de textualização em textos multissemióticos. Para tal, adota-se a perspectiva da arquitetura textual como dispositivo analítico, proposta por Bronckart, desenvolvida no âmbito do Interacionismo Sociodiscursivo (ISD). Assim, busca-se analisar como o processo de composicionalidade se efetiva em textos que articulam linguagem verbal e não verbal (imagética e em movimento). Com base no trabalho empreendido, constata-se que a perspectiva da arquitetura textual viabiliza uma análise global das várias dimensões constitutivas dos textos multimodais/ multissemió-ticos, permitindo um estudo dos diferentes recursos que indiciam sentidos e orientam interpretações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helena Maria Ferreira, Universidade Federal de Lavras (UFLA)
Professora Adjunta do Departamento de Estudos da Linguagem (DEL) da Universidade Federal de Lavras (UFLA). Doutora em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).
Patricia Vasconcelos Almeida, Universidade Federal de Lavras (UFLA)

Professora Associada do Departamento de Estudos da Linguagem (DEL) da Universidade Federal de Lavras (UFLA). Doutora em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com doutorado sanduíche na Inglaterra, na Universidade de Bath.

Jaciluz Dias, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
Doutoranda em Linguística, pela Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF (2018). Mestra em Educação, pela Universidade Federal de Lavras - UFLA (2017). Especialista em Língua Portuguesa e Literatura Brasileira, pela Faculdade do Noroeste de Minas - Finon (2011). Licenciada em Letras - Língua Portuguesa, pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora - PUC/MG / CES/JF (2011). Bacharela em Comunicação Social, pela Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF (2009). Servidora pública, atua como Assistente em Administração, na Universidade Federal de Lavras (UFLA), desde 2014.

Referências

BRONCKART, J. P. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sociodiscursivo. 2. ed. São Paulo: EDUC, 2012.

CAVALCANTE, R. Porto. Entrevista Universidade de Genebra Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação. Prolíngua. ISSN 1983-9979, João Pessoa, v. 10, n. 3, p.105-117, nov./dez. 2015. Disponível em: http://periodicos.ufpb.br/index.php/prolingua/article/view/28708/15293. Acesso em: 20 set. 2017.

FERREIRA, A. D’O.; MELO, G. C. V. de. Análise de textos multimodais da Web e o ISD. DELTA: Documentação e Estudos em Linguística Teórica e Aplicada [online]. 2016, v. 32, n.1, p. 1-21. ISSN 0102-4450. DOI http://dx.doi.org/10.1590/0102-445056772752226428. Acesso em: 20 set. 2017.

KOCH, I. G. V. O texto e a construção dos sentidos. 9. ed. São Paulo: Contexto, 2007.

LEAL, A. A modalidade em perguntas tag. Trabalho final apresentado no Seminário de Semântica, Universidade Nova de Lisboa, 2004.

PORTA DOS FUNDOS. Ensino. 28 abr. 2016. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=3EEAYXLTTDM. Acesso em: 25 jun. 2017.

ROST, C. A. Expansão semântico-pragmática e mudança categorial de verbos de percepção: amostra sincrônica. Working Papers em Linguística, Florianópolis, v. 6, n. 1, p. 116-134, jan. 2002. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/workingpapers/article/view/6123/5667. Acesso em: 02 jul. 2017.

SANTOS FILHO, I. I. Os mecanismos de textualização visuais em articulação com os linguísticos: os diversos recursos semióticos em tessitura para a composicionalidade do texto. Revista Linguasagem. 9. ed. 2009. Disponível em: http://www.letras.ufscar.br/linguasagem/edicao09/artigos_santosfilho.php. Acesso em: 2 jul. 2017.

SOUZA JUNIOR, R. C.; LIMA, D. G. G. Esquetes do coletivo criativo "porta dos fundos": uma proposta de análise do fenômeno referencial. Revista (con) Textos Linguísticos, Vitória, v. 10, n. 17, p. 201-2016, dez. 2016. Disponível em: http://www.periodicos.ufes.br/contextoslinguisticos/article/download/14800/10817. Acesso em: 30 jun. 2017.

Publicado
2019-10-07
Como Citar
FERREIRA, H. M.; ALMEIDA, P. V.; DIAS, J. O processo de textualização em textos multissemióticos. Domínios de Lingu@gem, v. 13, n. 3, p. 823-849, 7 out. 2019.