A argumentação como ferramenta de reflexão e negociação para a construção de um projeto pedagógico interdisciplinar

  • Maísa Helena Brum Universidade Federal de Santa Maria; Instituto Federal do Rio Grande do Sul - Campus Sertão.
  • Luciane Kirchhof Ticks Universidade Federal de Santa Maria
Palavras-chave: Formação continuada de professores, Interdisciplinaridade, Argumentação

Resumo

A prática argumentativa não é tão somente a expressão de uma avaliação individual, mas se constitui como uma contribuição para o processo comunicativo entre pessoas ou grupos, que trocam ideias com o propósito de deliberar sobre as suas diferenças de opinião (VAN EEMEREN; GOOTENDORST, 2009, p. 55). Nesse processo, destacamos a natureza dual de negociação e mudança da argumentação, que a constitui como um recurso epistêmico de mediação na construção do conheci-mento (LEITÃO, 1999). Considerando essa perspectiva, este trabalho tem como objetivo analisar o processo argumentativo desencadeado em um programa de formação continuada de professores com vistas à discussão do conceito de interdisciplinaridade e à produção de atividades pedagógicas interdisciplinares, desenvolvido com docentes de uma escola pública de Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA) de Santa Maria, RS. Para tanto, adotamos os planos de Interdisciplinaridade propos-tos por Lenoir (2008). O corpus é constituído por transcrições de três sessões reflexivas realizadas ao longo de 2013, que se constituíram como as mais signi-ficativas desse processo reflexivo, desenvolvido como parte de uma investigação de mestrado. A análise das sessões evidenciou a presença de sequências de ações discursivas. Essas ações impulsionaram as negociações dos participantes na constituição de um projeto pedagógico interdisciplinar na escola. O processo argumentativo desenvolvido nas sessões reflexivas auxiliou na orga-nização de ideias, na tomada de posições e, consequentemente, na construção do pensamento reflexivo das participantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRUM, M. H. Representações de interdisciplinaridade por professores da rede pública ao longo de uma formação continuada. 2015. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 150 p., 2015. DOI https://doi.org/10.26512/2015.05.d.19166

CELANI, M. A. A. Um programa de formação contínua. In: CELANI, M. A. A. (org.) Professores e formadores em mudança: relato de um processo de reflexão e transformação da prática docente. Campinas: Mercado de Letras, p. 19-35, 2002. DOI https://doi.org/10.1590/s0102-44502003000100011

COMPIANI, M. As geociências no ensino fundamental: um estudo de caso sobre o tema “A formação do universo”, 1996. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, SP, 215 p., 1996. DOI https://doi.org/10.17648/cied-2018-91665

CRISTÓVÃO, V. L. L. Por relações colaborativas entre universidades e escolas. In: CRISTÓVÃO, V.; GIMENEZ, T. (org.). ENFOLI: Construindo uma comunidade de formadores de professores de inglês. Londrina: s.n., p. 19-22, 2005.

DAMIANOVIC, M. C. A organização argumentativa na passagem de formando a formador. In: LEITÃO, S.; DAMIANOVIC, M. C. (org.). Argumentação na escola: o conhecimento em construção. Campinas: Pontes Editores, p. 275-298, 2011.

DAMIANOVIC, M. C.; LEITÃO, S. A Atividade expansão de conceitos teóricos por meio do debate crítico em sala de aula. In: LIBERALI, F.; MATEUS, E.; DAMIANOVIC, M. C. (org.). A Teoria da Atividade Sócio-Histórico Cultural e a Escola: Recriando Realidades Sociais. Campinas. Editora Pontes, p. 137-160, 2012. DOI https://doi.org/10.11606/t.81.2018.tde-25072018-135159

DE CHIARO, S.; LEITÃO, S. O Papel do professor na construção discursiva da argumentação em sala de aula. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 18, n. 3, p. 340-358, 2005. DOI https://doi.org/10.1590/s0102-79722005000300009

FAZENDA, I. C. A. Didática e Interdisciplinaridade. 9. ed. Campinas, SP: Papirus, 2005.

FAZENDA, I. C. A. Formação de Professores: dimensão interdisciplinar. Revista Brasileira de Formação de Professores. Goiânia: v. 1, n. 1, p. 103-109, 2009. DOI https://doi.org/10.31639/rbpfp.v11i20.210

FREIRE, P. Cartas a Cristina: reflexões sobre minha vida e minha práxis. 2.ed. São Paulo: UNESP, 2003.

GODOY, A. C. S. A interdisciplinaridade na formação docente. Revista de Educação, v. 9. 2006. Disponível em: http://sare.anhanguera.com/index.php/reduc/article/viewArticle/194. Acesso em: 15 abr. 2016.

LEFFA, V. J. Transdisciplinaridade no ensino de línguas: a perspectiva das teorias da complexidade. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 6, n. 1, 2006. DOI https://doi.org/10.1590/s1984-63982006000100003

LEITÃO, S. Contribuições dos estudos contemporâneos da argumentação à uma análise psicológica de processos de construção de conhecimento em sala de aula. Arquivos Brasileiros de Psicologia, Rio de Janeiro, v. 51, n. 1, p. 91-109, 1999. DOI https://doi.org/10.11606/d.81.2011.tde-25072011-135057

LEITÃO, S. The potential of argument in knowledge building. HumanDevelopment, v. 6, p. 332-360, 2000.

LEITÃO, S. Processos de construção do conhecimento: a argumentação em foco. Pro-posições, v. 18, n. 3, p. 75-90, 2007a.

LEITÃO, S. Argumentação e Desenvolvimento do Pensamento Reflexivo. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 20, n. 3, p. 454-462, 2007b. DOI https://doi.org/10.1590/s0102-79722007000300013

LEITÃO, S. O Lugar da Argumentação na Construção do Conhecimento em Sala de Aula. In: LEITÃO, S.; DAMIANOVIC, M. C. (org.). Argumentação na Escola: O Conhecimento em Construção. Campinas: Pontes, p. 13-46, 2011. DOI https://doi.org/10.1590/s0102-79722005000300009

LENOIR, Y. Didática e interdisciplinaridade: uma complementaridade necessária e incontornável. In: FAZENDA, I. C. (org.). Didática e interdisciplinaridade. 13. ed. Campinas: Papirus, 2008.

LIBERALI, F. Formação crítica de educadores: questões fundamentais. Coleção novas perspectivas em linguística aplicada. 2. ed. v. 8. Campinas: Pontes Editores, 2012.

MAGALHÃES, M. C. C. O professor de línguas como pesquisador de sua ação: a pesquisa colaborativa. In: GIMENEZ, T. (org.). Trajetórias na formação de professores de línguas. Londrina: UEL, 2002. p. 39-58. DOI https://doi.org/10.5935/1981-4755.20170005

MAGALHÃES, M. C. Questões de método e de linguagem na formação docente. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2011.

MOTTA-ROTH, D. Competências comunicativas interculturais no ensino de inglês como língua estrangeira. In: MOTTA-ROTH, D.; BARROS, N. C.; RICHTER, M. G. (org.). Linguagem, cultura e sociedade. Santa Maria, RS: PPGL Editores/UFSM, 2006. p. 191-201.

MOTTA-ROTH, D. Para ligar a teoria à prática: roteiro de perguntas para orientar a leitura/análise crítica de gênero. In: MOTTA-ROTH, D.; CABAÑAS, T.; HENDGES, G. R. (org.). Análises de textos e de discursos: relações entre teorias e práticas. 2 ed. Santa Maria: PPGL, 2008. p. 243-272. DOI https://doi.org/10.1590/s0102-44502008000200007

PONTECORVO, C.; GIRARDET, H. Arguing and Reasoning in Understanding Historical Topics. Cognition and Instruction, v. 11, n. 3-4, 1993. p. 365-39. DOI https://doi.org/10.1080/07370008.1993.9649030

SILVA, E. A. Representações de Letramento no Contexto Escolar: A construção de um conceito socialmente situado em um programa de formação de professores. 2014. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 141 p., 2014. DOI https://doi.org/10.4013/cld.2017.151.05

VAN EEMEREN, F. H.; GROOTENDORST, R. A Systematic Theory of Argumentation. Cambridge: University Press, 2009.

Publicado
2019-10-08
Como Citar
BRUM, M. H.; TICKS, L. K. A argumentação como ferramenta de reflexão e negociação para a construção de um projeto pedagógico interdisciplinar. Domínios de Lingu@gem, v. 13, n. 3, p. 1180-1210, 8 out. 2019.