Letramento e Enunciação

bases para um diálogo

  • Giovane Fernandes Oliveira UFRGS.
Palavras-chave: Enunciação, Letramento, Letramento acadêmico, Escrita acadêmica, Oralidade acadêmica

Resumo

Este trabalho objetiva lançar as bases para um diálogo entre o campo dos Estudos do Letramento, particularmente os Estudos dos Letramentos Acadêmicos, e o campo da Linguística da Enunciação, particularmente a Teoria da Enunciação de Émile Benveniste. A partir de uma dupla lacuna identificada – no campo do Letramento, a ausência de uma abordagem enunciativa; no campo da Enunciação, a falta de uma tematização do letramento como objeto de estudo enunciativo –, elaboram-se princípios e concepções para um modelo enunciativo de letramento acadêmico. Segundo tal modelo, o locutor-aluno se instaura como sujeito de linguagem no mundo letrado acadêmico por meio das relações enunciativas com o alocutário-professor/colegas e com as culturas de escrita acadêmica, renovando sua relação com a língua materna a cada vez que insere seu discurso no mundo letrado acadêmico para falar, ouvir, ler e escrever textos escritos e orais letrados. Este trabalho espera contribuir, assim, com os estudos sobre o letramento e o letramento acadêmico, ao formular uma nova explicação teórica para tais fenômenos; com os estudos enunciativos, ao inserir o letramento e o letramento acadêmico dentre seus objetos de investigação; e com o ensino de língua materna na universidade, ao fornecer subsídios teóricos para a prática da produção e da compreensão de textos escritos e orais letrados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUSTINI, C.; ARAÚJO, É. D. de; LEITE, J. de D Rasuras em manuscritos escolares e implicações enunciativas: da projeção de (inter)locução à transmissibilidade. Letras & Letras, v.29, n.1, p.1-20, 2013.

BEVILAQUA, R. Novos Estudos do Letramento e Multiletramentos: divergências e confluências. Revista Virtual de Letras, v.5, n.1, p.99-114, jan.-jul./2013.

BENVENISTE, É. Problemas de Linguística Geral I. 5.ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2005.

______. Problemas de Linguística Geral II. 2.ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2006.

______. Últimas aulas no Collège de France (1968 e 1969). 1.ed. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

CREMONESE, L. E. Um olhar enunciativo sobre a relação entre leitura e produção textual na universidade. 154f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2014.

CUNHA, M. I. da. Indissociabilidade entre ensino e pesquisa: a qualidade da graduação em tempos de democratização. Perspectiva. Florianópolis, v.29, n.2, p.443-462, jul.-dez./2011.

DESSONS, G. Émile Benveniste, l’invention du discours. Paris: Éditions in Press, 2006.

ENDRUWEIT, M. L. A escrita enunciativa e os rastros da singularidade. 206f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2006.

FIAD, R. A escrita na universidade. Revista da ABRALIN, n. Especial, p. 357-369, 2011.

______. Reescrita, dialogismo e etnografia. Linguagem em (Dis)curso, v.13, p. 463-480, 2013.

______. Algumas considerações sobre os letramentos acadêmicos no contexto brasileiro. Pensares em Revista, v.1, p. 23-34, 2015.

FISCHER, A. A construção de letramentos na esfera acadêmica. 341f. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, 2007.

FLORES, V. do N. Introdução à teoria enunciativa de Benveniste. São Paulo: Parábola, 2013.

______; BARBISAN, L. B.; FINATTO, M. J. B. Dicionário de Linguística da Enunciação.1ed. São Paulo: Contexto, 2009.

JUCHEM, A. Por uma concepção enunciativa de escrita e re-escrita de textos em sala de aula: os horizontes de um hífen. 195f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2012.

KATO, M. No mundo da escrita. São Paulo: Ática, 1986.

KLEIMAN, Â. B. Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita (1995). 2ed. Campinas: Mercado de Letras, 2012.

______. Interseções entre a Linguística Aplicada e os Estudos de Letramento: desenhos transdisciplinares, éticos e críticos de pesquisa. Matraga, v.22, n.36, jan./jun./2015.

KNACK, C. Texto e enunciação: as modalidades falada e escrita como instâncias de investigação. 189f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2012.

______. Por uma dimensão antropológica do discurso: as passagens do aluno nas instâncias de ensino. 164f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2016.

LEA, M. R.; STREET, B. V. Student writing in higher education: un academic literacies approach. UK Studies in Higher Education, v.23, n.2, p.157-172, 1998. https://doi.org/10.1080/03075079812331380364

MARINHO, M. A escrita nas práticas de letramento acadêmico (2010a). Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v.10, p.363-386, 2010. https://doi.org/10.1590/S1984-63982010000200005

______. Letramento: a criação de um neologismo e a construção de um conceito (2010b). In: MARINHO, M.; CARVALHO, G. T. (orgs.). Cultura escrita e letramento.1ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

MELLO, V. H. D. de. A sintagmatização-semantização: uma proposta de análise de texto. 145f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2012.

MOTTA-ROTH, D.; HENDGES, G. M. Produção textual na universidade. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

NAUJORKS, J. da C. Leitura e enunciação: princípios para uma análise do sentido na linguagem. 153f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2011.

OLIVEIRA, G. F. Do homem na língua ao sujeito na escrita: bases para um diálogo entre Letramento e Enunciação. 143f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Letras) – Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2016.

______ (2017a, no prelo). Os Estudos dos Letramentos Acadêmicos no Brasil: influências, origens e perspectivas. Revista DisSol – Discurso, Sociedade e Linguagem, ano IV, n. 5, jan.-jun./2017.

______ (2017b, submetido). Uma semântica do homem que fala, ouve, escreve e lê em sala de aula: a enunciação benvenistiana e o ensino de língua materna.

ROJO, R. (Org.). Alfabetização e letramento: perspectivas linguísticas (1998). Campinas: Mercado de Letras, 2009.

______. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social (2009). São Paulo: Parábola Editorial, 2014.

ROTTAVA, L. A leitura em contexto acadêmico: o processo de construção de sentidos de alunos do primeiro semestre do curso de Letras. Signo, v.37, n.63, p.160-179, jul.-dez./2012.

SILVA, C. L. da C. A criança na linguagem: enunciação e aquisição. Campinas, SP: Pontes Editores, 2009.

______. O homem na cultura reinventando a língua: aquisição e letramento. In: TOLDO, C.; STURM, L. Letramento: práticas de leitura e escrita. São Paulo: Pontes Editores, 2015.

______. Experiências de significação na linguagem: enunciação e ensino de língua materna. Signo. Santa Cruz do Sul, v.41, n. Especial, p.20-28, jan.-jun./2016.

SILVA, S. O homem na língua: uma visão antropológica da enunciação para o ensino da escrita. 222f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2013.

SIMÕES, L. J.; RAMOS, J. W.; MARCHI, D.; FILIPOUSKI, A. M. Leitura e autoria: planejamento em Língua Portuguesa e Literatura. Erechim: Edelbra, 2012.

SOARES, M. B. Letramento: um tema em três gêneros (1998). Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

STEIN, J. de Q. “Eu não sou essa escrita aí e, ao mesmo tempo, essa escrita é minha”: por uma problematização enunciativa benvenistiana para o ensino de escrita. 177f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), Porto Alegre, 2016.

STREET, B. V. Os novos estudos sobre o letramento: histórico e perspectivas (2010a). In: MARINHO, M.; CARVALHO, G. T. (orgs.). Cultura escrita e letramento.1ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

______. Eventos de letramento e práticas de letramento: teoria e prática nos novos estudos do letramento. In: MAGALHÃES, I. (org.). Discursos e práticas de letramento: pesquisa etnográfica e formação de professores.1ed. Campinas: Mercado de Letras, 2012.

______. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação.1ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2014.

TEIXEIRA, M. Palavras para fazer ouvir interrogações. Organon. Porto Alegre, n.40/41, jul./dez., 2006.

______. Um olhar enunciativo sobre o discurso. In: BORDINI, M. da G. di F.; BARBISAN, L. B. (Orgs.). Enunciação e discurso: tramas de sentidos. São Paulo: Contexto, 2012, p. 62-74.

______; MESSA, R. M. Émile Benveniste: uma semântica do homem que fala. Estudos da Língua(gem). Vitória da Conquista, v.13, n.1, p.97-116, jun./dez., 2015.

TFOUNI, L. V. Adultos não alfabetizados: o avesso do avesso (1988). 1.ed. Campinas: Pontes Editores, 1988.

______. Letramento e alfabetização (1995). 9.ed. São Paulo: Cortez, 2010.

Publicado
2017-11-07
Como Citar
OLIVEIRA, G. F. Letramento e Enunciação. Domínios de Lingu@gem, v. 11, n. 4, p. 1205-1245, 7 nov. 2017.