Inserção das tecnologias digitais na educação

tessitura identitária docente na modernidade tardia

Palavras-chave: Identidade, Prática pedagógica, Tecnologias digitais

Resumo

Neste artigo, por meio de um estudo de caso a partir de relatos proferidos por uma professora do Ensino Básico, objetivamos, à luz da perspectiva da Teoria Sistêmico Funcional (HALLIDAY; MATTHIESSEN, 2004), perscrutar nuanças da nova identidade docente no contexto de inserção das tecnologias digitais na sala de aula, considerando o posicionamento da professora acerca da sua própria identificação e sua atitude reflexiva em relação a sua prática pedagógica. O resultado da pesquisa permite vislumbrar o processo de incompletude da identificação na modernidade tardia e indica a constituição de uma identidade docente em formação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Janicleide Vidal Maia, Secretaria de Educação do Estado do Ceará (SEDUC-CE)
Graduada em Letras (UVA), mestre e doutora em Linguística pela Universidade Federal do Ceará (UFC).
Avanúzia Ferreira Matias, Secretaria de Educação do Estado do Ceará (SEDUC-CE)
Graduada em Letras (UFC) e Pedagogia (UNIP), mestre em Linguística e doutora em Educação pela Universidade Federal do Ceará (UFC).

Referências

BAKHTHIN, M. Marxismo e filosofia da Linguagem. São Paulo: Editora HUCITEC, 1981.

BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

CALDEIRA, E. ADC e LSF: um suporte para a desconstrução de representações excludentes. Cadernos de Linguagem e Sociedade, Vol. 12 (1), p.69-93, 2011.

CHOULIARAKI, L.; FAIRCLOUGH, N. Discourse in late modernity. Rethinking critical discourse analysis. Edimburgo: Edinburg University Press, 1999.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e mudança social. Coord. trad., revisão e prefácio à ed. brasileira I. Magalhães. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2001.

______. Analysing discourse: textual analysis for social research. London, New York: Routledge, 2003.

______. A dialética do discurso. Trad. I. Magalhães. In: MAGALHÃES, I. (Org.) Discursos e práticas de letramento. Pesquisa etnográfica e formação de professores. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2012, p. 93-107.

GIDDENS, A. Modernidade e Identidade. 1.ed. Rio de Janeiro: Zahar Editora, 2002.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Trad. Tomaz T. da Silva, Guaracira L. Louro. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

______. Quem precisa da identidade? In: T. T. SILVA (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2011, p.103-33.

HALLIDAY, M.A.K. An Introduction to Functional Grammar. 3rd ed. Revised by C. M. I. M. MATTHIESSEN. London: Arnold, 2004.

MAGALHÃES, I. Discurso, ética e identidades de gênero. In: CORACINI, M. J.; GRIGOLETTO, M. (org.) Práticas identitárias: língua e discurso. São Carlos: Claraluz, 2006, p. 71-96.

______. Teoria crítica do discurso e texto. Linguagem em (Dis)curso - LemD, Tubarão, v. 4, n.esp, p. 113-131, 2004.

______. Análise do discurso publicitário. Revista Abralin. Vol. 4, nº 1 e 2, p. 231-260, 2005.

______. Textos e práticas socioculturais – discursos, letramentos e identidades. Linha d’Água, n. 24 (2), p. 217-233, 2011.

PERRENOUD, Ph. Pedagogia diferenciada: das intenções à ação. Porto Alegre, Artmed, 2000.

RAMALHO, V.; RESENDE, V. Análise de discurso (para a) crítica: o texto como material de pesquisa. Campinas, SP: Pontes Editora, 2011.

STEFFLER, A. Os verbos modais do português sob uma perspectiva de traços funcionais. 2013. 91 f. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2013.

SUNKEL, G. Las Tecnologías de la Información y la Comunicación ( TIC) en la Educación en América Latina. Una exploración de Indicadores. Cepal, División de Desarrollo Social. Serie Políticas Sociales Nº 126. Santiago de Chile, 2006.

TEIXEIRA, J. M.; ASSUNÇÃO, A. L. Entradas lexicais como forma de representação e persuasão no discurso publicitário. Anais do SILEL. Volume 1. Uberlândia: EDUFU, 2009. Disponível em http://www.ileel.ufu.br/anaisdosilel/pt/edicao_volume_1_numero_1.php. Acesso em 15 março 2015.

THOMPSON, J. B. Ideologia e Cultura Moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

UNESCO. Padrões de competência em TIC para professores. Marco político. Tradução: Cláudia Bentes David. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – Paris: UNESCO, 2008.

XAVIER, A. C. A era do hipertexto: linguagem e tecnologia. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2009.

Publicado
2017-11-07
Como Citar
MAIA, J. V.; MATIAS, A. F. Inserção das tecnologias digitais na educação. Domínios de Lingu@gem, v. 11, n. 4, p. 1366-1385, 7 nov. 2017.