Análise de narrativas de ruptura e reenquadre ao estereótipo de maternidade socialmente estabelecido

  • Allane de Souza Pedrotti Matos Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)
Palavras-chave: Estereótipo de maternidade, Sociolinguística Interacional, Enquadre

Resumo

Neste artigo, analiso o esforço conjunto para o reenquadre e a manutenção dos estereótipos da maternidade estabelecidos pela instituição social da mãe biológica, quando a ruptura destes padrões surge em um momento interacional. A interação registrada em gravação de áudio de mulheres que compartilham as rotinas de seus filhos em um condomínio na Zona Norte do Rio de Janeiro/RJ compõe o corpus desta análise. Esse estudo lança mão do interacionismo como categoria de análise, e, através dos conceitos de Goffman articulados com o estudo de narrativas com base em Labov, percebeu-se como o discurso em um contexto micro faz emergir um conceito social construído, através das práticas de linguagem e nas redes de significado da comunidade discursiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Allane de Souza Pedrotti Matos, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)
Doutoranda em Estudos da Linguagem, pelo programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem, do Departamento de Letras da PUC-Rio, desde março de 2016.  Coordenadora Pedagógica do Ensino Médio e Técnico do CEFET-RJ, campo de pesquisa da Tese.

Referências

BADINTER, E. Um amor conquistado: o mito do amor materno. Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

DENZIN, N.; LINCOLN, Y. A disciplina e a prática da pesquisa qualitativa. In: DENZIN, N.; LINCOLN, Y. O Planejamento da Pesquisa Qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, 2006.

FABRICIO, B. F.; BASTOS, L. C. Identidade de grupo: a memória como garantia do nós face ao outro. In: PEREIRA, M. G. D.; BASTOS, C. R. P.; PEREIRA, T. C. (Orgs.). Discursos sócio-culturais em interação: Interfaces entre a narrativa, a conversação e a argumentação: navegando nos contextos da escola, saúde, empresa, mídia, política, gênero e migração. Rio de Janeiro: Garamond, 2009, p. 39-66.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

GOFFMAN, E. A situação negligenciada. In: RIBEIRO, B. T.; GARCEZ, P. Sociolinguística Interacional. 2a. ed., São Paulo: Loyola, 2013.

GOFFMAN, E. Footing. In: RIBEIRO, B. T.; GARCEZ, P. Sociolinguística Interacional. 2a. ed., São Paulo: Loyola, 2013.

GOFFMAN, E. Frame Analysis: an essay on the organization of experience. Boston: Northeastern University Press, 1986

GOFFMAN, E. [1967]. Ritual de Interação: ensaios sobre o comportamento face a face. Tradução de Fábio Rodrigues da Silva. Petrópolis: Vozes, 2011.

GUMPERZ, J.. Convenções de contextualização. In: RIBEIRO, B. T.; GARCEZ, P. Sociolinguística Interacional. 2a. ed. São Paulo: Loyola, 2013.

LABOV, W. The transformation of experience in narrative syntax. In: Language in the inner city. University of Pennsylvania Press, 1972.

PINHEIRO, L.G. (Re)Construindo Performances Discursivas de Maternidade e Não Maternidade Em Espaços Virtuais. 229p. Rio de Janeiro, RJ. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, 2014.

RIBEIRO, B. T.; GARCEZ, P. M. Sociolinguística Interacional. 2a edição. São Paulo: Edições Loyola, 2013.

SELL, M.; OSTERMANN, A. C. A construção da significação da experiência do abuso sexual infantil através da narrativa: uma perspectiva interacional. DELTA, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 307-332, 2015. https://doi.org/10.1590/0102-445088814836814166

SCHNACK, C.; PISONI, T.; OSTERMANN, A. Transcrição de fala: do evento real à representação escrita. Entrelinhas, Rio Grande do Sul, v. 2, n. 2, 2005.

Publicado
2018-03-29
Como Citar
MATOS, A. DE S. P. Análise de narrativas de ruptura e reenquadre ao estereótipo de maternidade socialmente estabelecido. Domínios de Lingu@gem, v. 12, n. 1, p. 44-66, 29 mar. 2018.