A influência da segmentação linguística na recepção de legendas para surdos e ensurdecidos (LSE) em documentários televisivos

  • Patrícia Araújo Vieira Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Vera Lúcia Santiago Araujo Universidade Estadual do Ceará (UECE)
Palavras-chave: Tradução Audiovisual, Acessibilidade, Legendagem para surdos e ensurdecidos, Movimentação ocular, Segmentação linguística.

Resumo

Este artigo tem por objetivo apresentar os resultados de uma pesquisa que investigou a influência da segmentação linguística em legendas de velocidade lenta (145 palavras por minuto) e rápida (180 palavras por minuto). Para abordar esta questão, foi realizado um estudo, em duas fases, tendo como corpus trechos de documentários televisivos. A primeira fase verificou o custo do processamento na movimentação ocular em legendas de duas linhas nas duas velocidades com e sem problemas de segmentação linguística. A segunda procurou observar se as respostas dos participantes a relatos e questionários indicavam a influência da segmentação linguística durante a recepção. A pesquisa contou com 16 participantes, sendo 8 surdos e 8 ouvintes, assistindo a quatro trechos diferentes de documentários com a LSE manipulada em quatro condições experimentais: lenta e bem segmentada (LBS), lenta e mal segmentada (LMS), rápida e bem segmentada (RBS) e rápida e mal segmentada (RMS). Os dados estatísticos revelaram que a condição RBS é a mais confortável para surdos e ouvintes na recepção de documentários televisivos. Os resultados sugerem que problemas de segmentação linguística na LSE influenciam tanto no processamento da leitura de legendas quanto no conforto durante a recepção de documentários televisivos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Araújo Vieira, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Patrícia Araújo Vieira é Professora Assistente da Universidade Federal do Ceará (UFC) do curso Letras Libras. Tem mestrado e doutorado em Linguística Aplicada, tendo como foco de pesquisa a leitura e o ensino do português como segunda língua para surdos e também acessibilidade aos meios audiovisuais aos surdos e ensurdecidos por meio de legendagem para surdos e ensurdecidos.
Vera Lúcia Santiago Araujo, Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Vera Lúcia Santiago Araújo é Professora Associada da Universidade Estadual do Ceará (UECE), onde atua no Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada. Tem como foco de pesquisa a acessibilidade aos meios audiovisuais de pessoas com deficiência sensorial por meio da legendagem para surdos e ensurdecidos e audiodescrição. Este artigo apresenta resultados parciais de seu projeto de produtividade financiado pelo CNPq.

Referências

ARAÚJO, V. L. S. Closed subtitling in Brazil. In: ORERO, P. (Ed.). Topics in audiovisual translation. Amsterdam: John Benjamins Publishing Company, p. 199-212, 2004. v. 1. https://doi.org/10.1075/btl.56.20san

______. A legendagem para surdos no Brasil. In: ARAÚJO, V. L. S.; LIMA, P. L. C. (Org.). Questões de Linguística Aplicada: Miscelânea. Fortaleza: EdUECE, 2005, p. 163-188.

______. Subtitling for the deaf and hard-of-hearing in Brazil. In: ORERO, P.; REMAEL, A. (Org.). Media for All: Subtitling for the deaf, audio description and sign language. Kenilworth: Rodopi, 2007, p. 99-107. (Approaches to Translation Studies, 30).

______. Por um modelo de legendagem para Brasil. Tradução e Comunicação, São Paulo, n. 17, p. 59-76, 2008.

______. In search of SDH parameters for Brazilian party political broadcasts. The Sign Language Translator and Interpreter, Manchester, v. 3, n. 2, p. 157-167, 2009.

______. A segmentação na legendagem para surdos e ensurdecidos (LSE): um estudo baseado em corpus (CORSEL). Relatório Técnico n. 306441/2011-0. Fortaleza: CNPq. Fev. 2015.

ARAÚJO, V. L. S.; NASCIMENTO, A. K. P. Investigando parâmetros de legendas para Surdos e Ensurdecidos no Brasil. In: FROTA, M. P.; MARTINS, M. A. P. (Org.). Tradução em Revista, Rio de Janeiro, v. 2, p. 1-18, 2011. Disponível em: http://www.maxwell.lambda.ele.puc-rio.br/trad_em_revista.php?strSecao=input0. Acesso em: 21 maio 2014.

ARAÚJO, V. L. S.; MONTEIRO, S. M. M.; VIEIRA, P. A. Legendagem para surdos e ensurdecidos (LSE): um estudo de recepção com surdos da região Sudeste. TRADTERM, São Paulo, v. 22, p. 273-292, 2013. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/tradterm/article/view/69132. Acesso em: 21 maio 2014.

ARAÚJO, V. L. S; NAVES, S. B.; MAUCH, C.; ALVES, S. F. Guia para Produções Audiovisuais Acessíveis. Brasília: Ministério da Cultura Secretaria do Audiovisual, 2016. Disponível em: http://www.blogdaaudiodescricao.com.br/2015/11/guia-orientador-para-aacessibilidade-de-producoes-audiovisuais.html. Acesso em: 11 jun. 2016.

ASSIS, I. A. P. A segmentação na LSE de “Amor Eterno Amor”: uma análise baseada em corpus. (Bacharelado em Letras Inglês). 2013. 71 f. Monografia (Bacharelado em Letras Inglês) – Centro de Humanidades, Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza, CE, 2013.

______. Legendagem para surdos e ensurdecidos (LSE): análise baseada em corpus da segmentação linguística em “Amor Eterno Amor”. 2016. 108f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada, Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza, CE, 2016.

CHAVES, E. G. Legendagem para surdos e ensurdecidos: um estudo baseado em corpus da segmentação nas legendas de filmes brasileiros em DVD. 2012. 126f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Programa em Pós-Graduação em Linguística Aplicada, Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza, CE, 2012.

DE LINDE, Z.; KAY, N. The semiotics of subtitling. Manchester: St. Jerome Publishing, 1999.

D’YDEWALLE, G.; PRAET, C; VERFAILLIE, K.; VAN RENSBERGER, J. Watching subtitled television: automated reading behavior. Communication research. v. 18, p. 650-666, 1991. Disponível em: http://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/009365091018005005. Acesso em: 21 mai. 2016. https://doi.org/10.1177/009365091018005005

D’YDEWALLE, G.; DE BRUYCKER, W. Reading native and foreign language television subtitles in children and adults. In: HYONA, J.; RADACH, R.; DEUBEL, H. (Org.). The mind’s eye: cognitive and applied aspects of eye movements. Oxford, UK: Research Lirias, 2003, p. 671-684.

D’YDEWALLE, G.; RENSBERGEN, J.; POLLET, J. Reading a message when the same message is available auditorily in another language: the case of subtitling. In: O'REGAN, J. K.; LÉVY-SCHOEN, A. (Org.). Eye movements: from physiology to Cognition. Amsterdam and New York: Elsevier Science Publishers, 1987, p. 313-321. https://doi.org/10.1016/B978-0-444-70113-8.50047-3

DÍAZ CINTAS, J.; REMAEL, A. Audiovisual translation: subtitling. Manchester: St. Jerome Publishing Company, 2007.

DINIZ, N. S. L. A segmentação em legendagem para surdos e ensurdecidos: um estudo baseado em corpus. 2012. 149f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, MG, 2012.

FRANCO, E. P. C.; ARAÚJO, V.L.S. Reading television. Checking deaf people’s reaction to closed captioning in Fortaleza, Brazil. The Translator, Philadelphia, v. 9, n. 2, 2003, p. 249-267.

GLOBO REPÓRTER. Direção: Marislei Dalmaz. Brasil: TV Globo, 2013, 2 episódios de 50min. sonor. color. Legenda close caption roll up disponível.

IVARSSON, J.; CARROLL, M. Subtitling. Simrishamm, Suécia: TransEditHB, 1998.

JUST, M. C.; CARPENTER, P. A. A theory of reading: from eye fixations to comprehension. Psychological Review, Washington, v. 87, n. 4, p. 329-354, 1980. https://doi.org/10.1037/0033-295X.87.4.329

KARAMITROGLOU, F. A proposed set of subtitling standards in Europe. Translation Journal. Melbourne, v. 2, n. 2, p. 1-15, 1998. Disponível em: http://translationjournal.net/journal//04stndrd.htm. Acesso em: 15 mar. 2011.

MARQUER, P. La méthode experimentale: quelques points de repère. In: NICOLAS, S. (Ed.). La psychologie cognitive. Paris: Armand Colin, 2003, p. 185-206.

PEREGO, E. What would we read best? Hypotheses and suggestions for the location of line breaks in film subtitles. The Sign Language Translator and Interpreter, Manchester, v. 2, n. 1, p. 35- 63, 2008.

PEREGO, E.; DEL MISSIER, F.; PORTA, M.; MOSCONI, M. The cognitive effectiveness of subtitle processing. Media Psychology, Philadelphia, v. 13, n. 3, p. 243-272, 2010. Disponível em: http://www2.units.it/delmisfa/papers/SubtitlesProcessing2010.pdf. Acesso em: 21 maio 2014.

RAYNER, K.; BARBARA, J.; POLLATESK, A. Movimentos oculares durante a leitura. In: SNOWLING, M. J.; HULME, C. (Org.). A ciência da leitura. Trad. Ronaldo Cataldo Costa. Porta Alegre: Penso, 2013, p. 97-116.

RAYNER, K.; LIVERSEDGE, S. P. Visual and linguistic processing during eye fixation in reading. In: HENDERSON, J. M.; FERREIRA, F. (Org.). Language, Vision and Action. New York: Psychology, 2004, p. 56-104.

REID, H. Literature on the screen: subtitle translation for public broadcasting. In: BART, W.;

D’HAEN, T. (Org.). Something understood: studies in Anglo-Dutch literary translation. Amsterdam: Rodopi, 1990, p. 97-107.

ROMERO-FRESCO, P. Standing on quicksand: hearing viewers’ comprehension and reading patterns of respoken subtitles for the news. In: DÍAZ CINTAS, J.; MATAMALA, A.; NEVES, J. (Org.). New insights into audiovisual translation and accessibility. Media for All 2, Amsterdã: Rodopi, 2010, p. 175-195.

SCHOTTER, E. R.; RAYNER, K. Eye movements in reading: implications for reading subtitles. In: PEREGO, E. (Org.). Eye-tracking in audiovisual translation. Roma: Aracne, 2012, p. 83-104.

VIEIRA, P. A.; ARAÚJO, V. L. S.; CHAVES, E. G.; MONTEIRO, S. M. M. A segmentação na legendagem do documentário Globo Repórter: uma análise baseada em corpus. In: PONTES, V. O. et al. (Org.). A tradução e suas interfaces: múltiplas perspectivas. Curitiba: Editora CRV, 2015, p. 65-85.

Publicado
2017-12-21
Como Citar
VIEIRA, P. A.; SANTIAGO ARAUJO, V. L. A influência da segmentação linguística na recepção de legendas para surdos e ensurdecidos (LSE) em documentários televisivos. Domínios de Lingu@gem, v. 11, n. 5, p. 1797-1824, 21 dez. 2017.