Situação sociolinguística dos Gavião Kỳikatêjê

  • Tereza Maracaipe Barboza Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará
  • Lucivaldo da Silva Costa Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará-UNIFESSPA
  • Concita Guaxipiguara Sompré Universidade do Estado do Pará-UEPA.
Palavras-chave: Sociolinguística, Gavião Kỳikatêjê, Contato interétnico, Contato intergrupal

Resumo

O presente artigo tem como objetivo principal descrever a situação sociolinguística dos Gavião Kỳikatêjê da Reserva Indígena Mãe Maria, localizados no Brasil, na região Sudeste do estado do Pará, falantes da língua kỳikatêjê, da família Jê, do Tronco linguístico Macro-Jê. Por meio da aplicação de questionários, entrevistas e observações em lócus, pudemos observar que a língua materna dos Kỳikatêjê tem perdido espaço para a língua portuguesa em todos os domínios sociais dentro da aldeia. Os resultados apontam os aspectos históricos de contato interétnico e intergrupal como um dos fatores predominantes no enfraquecimento linguístico e cultural desses povos face ao atual contato intenso da sociedade envolvente e as pressões da língua majoritária - o português entre os indígenas, os quais têm atuado na atual configuração sociolinguística dos Gavião Kỳikatêjê.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tereza Maracaipe Barboza, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará

Mestre em Linguística pela Universidade do Estado de Mato Grosso-UNEMAT. Docente da Faculdade de Educação do Campo na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará-UNIFESSPA.

Lucivaldo da Silva Costa, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará-UNIFESSPA

Doutor em Linguística pela Universidade de Brasília-UNB. Docente da Faculdade de Educação do Campo na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará-UNIFESSPA.

Concita Guaxipiguara Sompré, Universidade do Estado do Pará-UEPA.

Graduada em Licenciatura Intercultural Indígena, área de concentração Linguagem e arte, pela Universidade do Estado do Pará-UEPA.

Referências

D’ANGELIS, W. R.; VASCONCELOS, E. A (Orgs). Conflito linguístico e direitos das minorias indígenas. Campinas, SP: Curt Nimuendajú, 2011, 128 p.

FERGUSON, C A. Diglossia. Word, vol. 15, 1959, p. 232-251. Disponível em: http://www.mapageweb.umontreal.ca/tuitekj/cours/2611pdf/Ferguson-Diglossia.pdf. Acesso em 7 de março de 2015.

FERNANDES, R. F. de. Educação Escolar Kỳikatêjê: novos caminhos para aprender e ensinar. Programa de Pós-Graduação em Direito. 2010. 212 f. Dissertação (Mestrado em Direito). Instituto de Ciências Jurídicas, Universidade Federal do Pará, Belém, 2010.

FERRAZ, I. Os Parkatêjê das matas do Tocantins: a epopéia de um líder Timbira. Programa de Pós-Graduação em Antropologia. 1984. 155 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - Departamento de Ciências Sociais, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1984.

FRANCESCHINI, D. C. Línguas indíngenas e português: contato ou conflito de línguas? Reflexões acerca da situação dos Mawé. In: SILVA, S. de S. (Org.). Línguas em contato: cenários de bilinguismo no Brasil. Campinas, SP: Pontes Editores, 2011, p.41-72.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA ESTATÍSTICA (IBGE). O Brasil Indígena: mapas. Disponível em: http://indigenas.ibge.gov.br/mapas-indigenas-2. Acesso em 16 de setembro de 2016.

KRASHEN, S. D. The Input Hypothesis: Issues and Implications, New York: Longman, 1985, 120 p.

MIRANDA, M. G. Morfologia e morfossintaxe da língua Krahô (Família Jê, Tronco Macro-Jê). Programa de Pós-Graduação em Linguística. 2014. 323f. Tese (Doutorado em Linguística). Instituto de Letras, Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas, Universidade de Brasília, Brasília, 2014.

POSSAS, H. M. [et al.]. (Orgs.). Mẽ krã Peiti: memórias kỳikatêjê. Marabá: Editora DNA, 2016, 24 p.

RICARDO, C. A. (Org). Povos indígenas no Brasil: Sudeste do Pará (Tocantins). São Paulo: CEDI, 1985, 227 p.

Publicado
2016-11-28
Como Citar
BARBOZA, T. M.; COSTA, L. DA S.; SOMPRÉ, C. G. Situação sociolinguística dos Gavião Kỳikatêjê. Domínios de Lingu@gem, v. 10, n. 4, p. 1238-1256, 28 nov. 2016.