Estereótipos como sedimentadores de ideias de hegemonia em parcerias de teletandem institucional semi-integrado

Gabriela Rossatto Franco, Laura Rampazzo

Resumo


O presente estudo concentra-se no contexto virtual de ensino-aprendizagem de línguas denominado teletandem (TELLES, 2006, 2011), o qual é caracterizado pela parceria colaborativa entre falantes de diferentes idiomas, que trabalham para aprender a língua um do outro ou a língua em que o outro é proficiente. Por meio da observação e posterior transcrição de quatorze sessões de interação oriundas de duas parcerias de teletandem, e da discussão teórica das transcrições, esta pesquisa se propôs a analisar os estereótipos (LAKOFF, 1987; FANT, 2012) presentes no discurso dos interagentes em situação de contato intercultural (KRAMSCH; URYU, 2014), como possíveis sedimentadores de ideias de hegemonia e supremacia de grupos considerados detentores de maior poder econômico. Tendo em vista que estereótipos podem ser vistos como reforçadores de relações de superioridade ou inferioridade, acreditamos que este trabalho apresenta implicações para uma atitude reflexiva dos participantes acerca de seus discursos e para formação de mediadores, na medida em que estes auxiliam os interagentes com relação a suas parcerias. 


Palavras-chave


Teletandem; contato intercultural; estereótipos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14393/DL27-v10n4a2016-6

Direitos autorais 2016 Gabriela Rossatto Franco, Laura Rampazzo

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional..

 

ISSN: 1980-5799.


Associada às seguintes bases de dados e diretórios: SISMLA, Latindex, DOAJDiadorim, Sumários.org, JournalSeek, WorldCat, Periódicos CAPES, BASE, CIRC, ERIPlus, EZ3, Google Acadêmico e ao Livre.

Revista Qualis B1, área de Letras e Linguística, quadriênio 2013/16.

 

Associação Brasileira de Editores Científicos – ABECLogotipo do Crossref